160119-trabalhoescravo

Fazendas acreanas aparecem na lista do trabalho escravo em 2019

Ao todo são 41 funcionários em trabalho análogo à escravidão

O Ministério Público do Trabalho (MPT) divulgou na quarta-feira (9) a primeira versão atualizada da “Lista Suja” do trabalho escravo em 2019, onde denuncia 204 empresas no Brasil pela prática do crime.

Quatro empresas acreanas aparecem na lista com 41 funcionários em trabalhos análogos à escravidão, são elas: Fazenda Perseverança (3); Fazenda Estância Guanabara (15); Fazenda Antimary (10); e Fazenda Agropecuária Sorriso (13).

As duas primeiras fazendas estão sendo autuadas pelo MPT desde 2017, já as outras duas entram na lista em 2018, todas permaneceram em 2019. O MPT disponibiliza, em seu site um canal para registro de denúncias de crimes que atentem contra os direitos dos trabalhadores. A notificação pode ser feita de forma anônima.

Na última atualização, realizada em outubro de 2018, 209 empresas eram autuadas. Com cinco empresas fora da lista em 2019 o número ainda é grande. Entre as mais autuadas estão fazendas, carvoarias e indústrias têxtil. Algumas empresas aparecem na lista desde 2009.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*