Homem é morto em Rio Branco após agredir esposa policial militar

Um segundo agente interferiu nas agressões e disparou contra o suspeito

Um homem foi morto na noite deste sábado (18), em uma casa de shows no bairro Bosque, em Rio Branco, após uma briga.

Segundo informações da Polícia Militar, um homem estaria agredindo a esposa, que pertencia a PMAC, quando um outro militar viu a ação e tentou controlar.

O homem de posse de uma arma branca não parou as agressões na esposa, momento em que o policial militar efetuou dois disparos contra o suspeito.

O homem morreu no local. A polícia e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foram acionados, mas só puderam constatar o óbito.

Na tarde deste domingo (19), a Polícia Militar do Acre emitiu uma nota sobre o caso. Confira a nota na íntegra:

A respeito de uma confusão em que uma pessoa foi morta e duas pessoas ficaram feridas em frente a uma casa de shows na rua Quintino Bocaiúva, bairro Bosque, em Rio Branco, na manhã deste domingo, 19 de dezembro, informamos que:

Uma guarnição do Primeiro Batalhão de Polícia Militar (1° BPM) foi acionada via 190 para atender a ocorrência em que um homem havia sido ferido por disparos de arma de fogo.

No local, constatou-se o óbito do homem.

Testemunhas informaram aos militares que o cidadão estaria agredindo sua esposa (uma policial militar), quando populares interviram. Neste momento, o homem teria sacado um canivete e ferido outras duas pessoas.

Um homem armado, que teria se identificado como policial, tentou fazer com que o homem cessasse seus atos, o que não ocorreu, e o homem efetuou pelo menos dois disparos contra o cidadão que estava com o canivete.

A arma branca foi entregue por populares aos policiais militares que atenderam a ocorrência, que a entreguaram a Polícia Civil.

Vale destacar, que quando a guarnição chegou para o atendimento da ocorrência, o homem que efetuou os disparos não se encontrava mais no local.

A guarnição militar realizou os procedimentos de praxes quando ocorre crime contra a vida. Isolou o local, acionou os peritos criminais, informou aos superiores e confeccionou um boletim com as informações repassadas pelas testemunhas.

O fato agora será apurado pela Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP).

Deixe uma resposta