No Acre, jovem perde mais de R$ 3 mil em golpe do “Anúncio Duplicado”

Além de Chaylon Ruan, uma mulher também foi vítima desse mesmo golpe

Um jovem chamado Chaylon Ruan, de 22 anos, morador do bairro Esperança, sofreu um prejuízo na última sexta-feira (6) de R$ 3.900, por meio de um golpe na internet, mais conhecido como Anúncio Duplicado.

Chaylon relata que tudo começou após ele anunciar o Iphone na OLX. Uma pessoa ainda não identificada, copiou  a publicação  e repostou em outro canal de vendas, por um preço de R$ 2.450, valor bem a baixo do que ele tinha colocado.

Após o anúncio ser duplicado, uma segunda vítima aparece na história, a pessoa que ficou interessada no anúncio falso. Em seguida, o suspeito manteve o contato com as duas vítimas, o qual um era o verdadeiro vendedor e outro o real comprador.

“O golpista fez eu me encontrar com o cara que estava interessado, porque viu o anúncio no facebook. Em seguida o outro que caiu no golpe depositou o dinheiro para o golpista, pensando que o dinheiro era dele, e não meu. No papel do golpe, eu só servi para ir deixar o celular”, afirmou Chaylon

O jovem também acrescenta, que a segunda vítima fez toda a transferência na frente dele. “Não imaginava que aquele dinheiro que estava sendo transferido era meu, o golpista dizia que só era para eu entregar o celular, e quando a outra pessoa que caiu nesse golpe pagasse ele uma dívida que estava devendo”, acrescentou Chaylon

Em seguida, após descobrirem que tinham sidos vítimas de um golpe na internet, Chaylon acabou tendo que vender o celular para a outra pessoa, no valor de R$ 2.000. Após a venda, ele fez um boletim de ocorrência de forma virtual, e assim espera que o caso seja solucionado o quanto antes.

Quem também sofreu esse golpe, foi uma mulher de 30 que preferiu não se identificar, porém ela não foi a anunciante, e sim a pessoa que se interessou pela publicação de venda na OLX.

Ela relata que no dia 21 de outubro desse ano, tinha encontrado uma geladeira com um preço bastante atrativo, nesse mesmo canal de vendas, e manteve conversa com a pessoa que vendia o eletrodoméstico. Em seguida, após todos os diálogos necessários para a venda, eles fecharam um valor de R$ 470,00.

Ela combinou com o suspeita de que quando ele fosse entregar a geladeira na casa da mãe dela, ela então faria o Pix, e tendo em vista que a vítima não morava com  a mãe, então ela não estaria lá para finalizar todo o processo de entrega.

“Conforme combinamos pelo Whatsapp a pessoa me contactou informando que a geladeira estava na casa da minha mãe, inclusive mandou uma foto pra mim. Até a minha mãe confirmou que estava lá, prontamente não perdi tempo, e enviei o pix que ele tinha me passado.” relatou a mulher

O rapaz que fez a entrega da geladeira junto com o freteiro ficou aguardando o valor a ser pago. “Até que a minha mãe avisou que já tinha sido pago, desconfiado, o homem foi verificar a conta com quem tinha acertado a venda, e já estava bloqueado”, acrescentou a vítima

Após a segunda vítima perceber que havia sido um golpe, entrou em contato com a mulher, e afirmou que ele era o responsável pela venda, e que tinham sido vítimas de uma fraude.

“No final, o vendedor retornou com o freteiro, e acertamos de ir na delegacia juntos, no entanto ele desistiu, porém fui a mais lesada, pois perdi R$ 470,00. Mesmo ele desistindo, fiz o boletim de ocorrência”, concluiu a mulher.

Segundo o delegado de Polícia Civil Nilton Boscaro, as pessoas costumam cair muito nesse golpe, pois elas não dialogam, não acertam valores, não buscam mais informações sobre as contas bancárias.

Para ajudar na prevenção, e evitar que outras pessoas sejam vítimas. Confira todas as formas de prevenção elencadas pelo delegado;

  • Anote a URL (endereço da internet – OLX, Facebook, etc) de onde foi postado o anúncio;
    Nunca Minta;
  • Desconfie de valores comercializados abaixo do mercado;
    Desconfie de solicitações de urgência ou pressa;
  • Quando for mostrar ou ver o produto, converse com a pessoa sobre as tratativas, principalmente acerca dos valores;
  • Analise o produto pessoalmente e converse sobre a situação do produto;
  • Se você é o comprador, certifique os dados bancários repassados pelo suposto vendedor, pesquisando a agência informada (basta digitar no Google: “ag. 2271 Banco Bradesco”), e se o nome do titular da conta corresponde ao proprietário do produto (veja nota fiscal de outro documento e comprove a propriedade)
  • Não acredite apenas em comprovantes enviados por Whatsapp.

Deixe uma resposta