150517-policia-jovemacidentado-cedida

Jovem possivelmente não terá direito a seguro DPVAT

Ônibus que arrastou jovem estava irregular

O ônibus com placa OLA 4438, que arrastou o jovem servente de pedreiro Elissandro Alcântara de Lima, 23, na rotatória do shopping no último dia 27 de abril, estava irregular desde 2014. Havia pendências de tributos e multas que, somadas, ultrapassam R$ 9 mil.

Essa situação irregular do veículo pode inviabilizar o direito da vítima ao seguro DPVAT. “Mas, depois do acidente, a empresa regularizou a situação”, constatou o vereador Roberto Duarte (PMDB), um dos parlamentares que tem denunciado o problema do trânsito de ônibus irregulares na Capital.

A RBTrans afirmou que, no dia do acidente, o ônibus foi apreendido e recolhido ao pátio do Detran. “Todos os procedimentos que tinham relação com a RBTrans foram feitos”, diz o diretor-superintendente da autarquia municipal, Gabriel Forneck.

O superintendente também informou que “mesmo sem ser legalmente obrigada” (por ainda não ter sido concluído o laudo pericial) a empresa restaurou a bicicleta (que era emprestada), comprou medicamento e bolsas de silicone e concedeu um cartão gratuidade provisório ao pai da vítima para poder usar ônibus enquanto o filho se recupera.

A direção do IML disse que o laudo pericial deve ser concluído “no final de maio” e o exame de corpo de delito deve ser agendado somente para o mês de agosto.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*