191216-policia-maehomemmorto-cleriston

Mãe questiona versão da Polícia Civil

Família não acredita no que foi informado pelos acusados

Eunice Ferreira, 65, que era mãe de Evan Silva, 42, assassinado em Senador Guiomard pelo próprio filho Everton Silva de 19 anos com a ajuda do comparsa João Victor Sousa de 22 anos na semana passada. Ela não acredita na versão que o neto repassou à polícia.

Pelo que o rapaz falou aos investigadores, Evan Silva estaria abusando da namorada do amigo João Victor. A família acredita que o crime pode ter sido por dinheiro já que, segundo a família, a vítima teria realizado um trabalho quebrando castanha e teria recebido uma quantia de R$ 900. O dinheiro sumiu, segundo a família.

Na versão da família, no dia do crime a vítima estava com o dinheiro no bolso de sua bermuda e o dinheiro teria desaparecido. Para a mãe, o filho “era uma ótima pessoa muito trabalhador”. Era seu “braço direito na colônia” onde ele foi morto.

Segundo ela, no dia do crime, estava sendo comemorado uma festa em sua casa para festejar o aniversário da vítima que teria sido no dia 5 deste mês. Como a mãe é evangélica, foi à igreja. Quando retornou para casa, percebeu que o filho não estava. Ao perguntar pelo filho ao neto, este falou que Evan teria saído.

Segundo ela, estranhou quando chegou à casa. O piso estava molhado e ao perguntar ao neto teria falado que uma das mulheres que estavam na casa teria vomitado e teriam lavado o chão.

Mesmo assim a mãe continuou a procurar pelo filho, e toda hora perguntava pelo filho ao neto. Ele junto com o comparsa dizia que não sabia o paradeiro da vítima.
Segundo a família, outros moradores do local começaram a procurar. Foi quando eles se aproximavam do local a onde o corpo estava enterrado. O neto falava que “já havia procurado naquele local”.

Até que o corpo foi encontrado por um caseiro da colônia onde o corpo estava enterrado. Segundo a família, a vítima não seria capaz de cometer o estupro ao qual o neto e o compassa o estão acusando.

Pois toda vez que Evan bebida, ele ficava rapidamente ficava bêbado e só queria
dormir. O que a família quer saber é o porquê de as duas garotas que estavam no local do crime não foram presas já que sabiam que a vítima teria sido morta e ainda ajudaram a lavar a casa.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*