050417-policia-delegadopeviani-tvgazeta

“Me colocaram nessa brincadeira”, diz delegado

Delegado admite erro após repercussão de vídeo

O delegado Fábio Peviane que aparece num vídeo dentro de uma delegacia falando sobre a origem das pessoas síndrome de Down, conversou com nossa equipe, pedindo desculpas pelo ocorrido. Segundo o delegado, tudo não passou de uma brincadeira, feita no dia 1º de abril, dia da mentira.

Profundamente arrependido. Essa é a expressão usada pelo delegado Fábio Peviane ao iniciar a entrevista.

No dia 1º de abril, o delegado estava de plantão na Delegacia de Flagrantes e segundo ele, participou de uma brincadeira entre os servidores. Peviane fala no vídeo, sobre a origem das pessoas com síndrome de Down.

Após a gravação, Peviane afirma que pediu ao colega de trabalho pra excluir o vídeo, mas em poucas horas, as declarações haviam sido compartilhadas em grupos de WhatsApp e no Facebook. Para os internautas, a opinião foi no mínimo preconceituosa.

Segundo o delegado, a gravação seria alusiva ao dia da mentira. A brincadeira foi encarada como verdade, e ele afirma que está pagando um alto preço por isso.

“Nós estávamos fazendo uma dinâmica na delegacia, devido ser ambiente estressante, trabalho pesado, 24 horas de plantão. Eu devo dar explicações, principalmente aos pais responsáveis por nascidos com síndrome de Down. Me colocaram nessa brincadeira”, disse.

A Secretaria de polícia civil abriu sindicância administrativa para apurar os fatos e possivelmente disciplinar o servidor. Depois que o vídeo vazou, Previane explica que as consequências foram desastrosas. Ele está respondendo processos de famílias que se sentiram ofendidas com as declarações. E também afirma que não consegue dormir bem.

Fábio Peviane atua há 14 anos como delegado de polícia na capital e em municípios do interior do Estado. Ele está afastado das atividades, não por que foi disciplinado, mas por que no dia do plantão, quando retornava pra casa, caiu de moto e quebrou a clavícula.

O dia 1º de abril segundo ele, foi desastroso em todos os sentidos e também deixou uma lição. “A gente na deve nunca achar que qualquer informação a gente deve pegar ao pé da letra e sim saber que tem que ouvir e saber o que tá acontecendo”, disse.
O delegado afirma que o colega que gravou o vídeo pediu desculpas por ter compartilhado em um grupo de policiais. Peviane não sabe quem passou a diante, e não tem interesse em culpar mais ninguém.

O que ele quer nesse momento é enfatizar seu pedido de desculpas. “Eu sempre admirei e sempre vou admirar as pessoas com síndrome de Down. Quero pedir desculpas. O que vocês decidirem pra mim, eu aceito”, concluiu.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*