2808-policia-prisaoengenheira

“Minha defesa é a verdade”, diz mototaxista

Acusado responsabiliza redes sociais por “condenação”

O mototaxista Giane Justo de Freitas, apontado pela polícia como o principal suspeito do assassinato de Sílvia Raquel da Mota, negou que tenha cometido crime passional. “Minha defesa é a verdade”, argumentou. Ele responsabilizou sua “condenação” pelas redes sociais. “É na internet”, apontou Giane.

A delegada Juliana D’Angelis e o Ministério Público pediram pela prisão preventiva e foram atendidos pela Justiça. Giane Justo de Freitas permanece preso.

Sílvia Raquel da Mota foi encontrada morta ao lado de uma caixa d’água que havia no quintal da residência onde morava no bairro. O corpo da mulher foi encontrado dentro de uma caixa d’água, na semana passada.

Inicialmente, a polícia trabalhava com duas linhas de investigação: suicídio ou assassinato. A hipótese de suicídio está descartada.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*