071117-policia-familiasagredidas-sousagomes

Novo conflito por terra registra vítimas no Acre

Agressão de capangas de fazenda deixa sem terra feridos

Conflito de terra na fazenda Vista Alegre deixa dois feridos, dezenas de barracos queimados, animais mortos a tiros e motos incendiadas. Os crimes aconteceram na madrugada dessa segunda-feira, em uma área que fica no Km 8 da estrada que liga Rio Branco a Porto Acre.

Um jovem de 16 anos está internado com fraturas e o corpo marcado por chicotadas. O líder dos sem terra Rosemilson Ferreira teve o braço direito e costelas quebrados.

Ele contou que por volta de uma da madrugada, 10 homens chegaram armados e foram espancando as pessoas que encontravam pela frente. “Quando vi tinha uma arma e uma lanterna apontadas para meu rosto. Eles colocaram uma corda no meu pescoço e começaram a bater. Eu não sei onde consegui forças para fugir dos 4 homens que me espancavam”, relatou.

O conflito na área já dura três anos e ficou mais violento no dia 19 de outubro quando saiu uma sentença judicial mostrando que 29 lotes não pertencem à área da fazenda. Isso fez com que as famílias retornassem ao local na qual foram retiradas há 3 anos durante desapropriação determinada pela Justiça.

No mesmo dia da sentença, as famílias sofreram o primeiro ataque. Um vídeo mostra homens armados chegando até os barracos e ameaçando os sem terra. A Maria Liberdade Santos foi arremessada ao chão e perdeu o filho de dois meses.

“Eu nunca vou esquecer essa violência contra mim e meu filho. Eles chegaram dizendo que eram policiais, nos ameaçaram e espancaram. Precisamos ser protegidos”, pediu.

O grupo afirma que denunciaram a violência na delegacia da 5º regional, mas nada foi feito. Sem uma reação da polícia, os capangas da fazenda voltaram a atacar nesta segunda-feira.

Há três anos, 102 famílias que foram retiradas da área da fazenda Vista Alegre e esperam uma decisão da Justiça, mas agora estão com medo de enfrentar a morte.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*