190817-policia-operacaoextravio-assessoriapoliciacivil

Operação Extravio apreende cerca de R$ 600 mil

Investigação de três meses não prende ninguém

Polícia Civil desarticula quadrilha que desviava cargas de empresa aérea. Os furtos podem ter chegado ao valor de R$ 600 mil. Ninguém foi preso, mas cerca de R$ 100 mil em dinheiro e objetos foram apreendidos na casa de um suspeito que trabalha no aeroporto.

A Operação Extravio foi deflagrada na última sexta-feira, mas os investigadores trabalham no caso há 3 meses. Na casa de um dos suspeitos foram apreendidos cerca de R$ 100 mil, sendo R$ 20 mil em espécie e o restante em produtos, tais como: simulacros de fuzis, celulares, televisores, impressoras, aparelhos de som de carro e baterias de veículos.

Além disso, a polícia também apreendeu embalagens com as informações da origem e destinação das cargas. Objetos e valores são incompatíveis com a renda do suspeito, que não ultrapassa os R$ 2 mil. Segundo a polícia, ele é um dos quatro envolvidos que trabalham na empresa aérea.

A carga chegava em Rio Branco e os funcionários informavam aos superiores que ela havia sido extraviada. A empresa aérea abria uma ocorrência policial informando os fatos. Mas, os investigadores desconfiaram dos sucessivos comunicados de extravio, já que o voo é direto de Brasília ao Acre.

“Nós constatamos através do serviço de inteligência que essa carga era desviada de dentro do aeroporto e aí começamos a monitorar no sentido de encontrar qual seria o caminho dessa carga desviada”, explica o delegado Pedro Rezende.
Foram cumpridos quatro mandados de buscas, nas casas dos suspeitos, que estão foragidos. Além de prender os envolvidos, a meta agora é identificar os receptadores.

“Mais importante do que a prisão é a gente conseguir descobrir como esse material entrou no mercado lícito, em tese. Por que é fruto de furto e foi para o mercado. Alguém comprou, algum receptador comprou e passou para essas pessoas de bem que foram e compraram. Nós já temos a lista dos celulares furtados. Vamos comunicar as empresas de operadoras de telefonia.
Esses telefones vão ser bloqueados e as pessoas que tiveram os telefones bloqueados que procurem a quarta regional, que depoimentos serão tomados. O telefone não vai funcionar mais”, disse o delegado.
O prejuízo com o desvio de cargas pode ter ultrapassado os R$ 600 mil.

{youtube}HCufgli2u_I&feature=youtu.be{/youtube}

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*