Ptolomeu: foram apreendidos R$ 600 mil entre dólares, euros e reais

Verificou-se constante movimentação de valores em espécie, inclusive com uso da segurança pública

Ainda na quinta-feira (16), a Polícia Federal divulgou um balanço dos bens apreendidos durante a Operação Ptolomeu, que visava desarticular organização criminosa envolvendo ilícitos de corrupção e lavagem de dinheiro relacionados à cúpula do Governo do Estado do Acre.

A investigação, que tramita no âmbito do Superior Tribunal de Justiça (STJ), identificou um grupo criminoso, controlado por empresários e agentes políticos ligados ao Poder Executivo estadual acreano, que atuavam no desvio de recursos públicos, bem como na realização de atos de ocultação da origem e destino dos valores subtraídos.

Foram identificadas dezenas de transações financeiras suspeitas em contas correntes, pagamentos de boletos de cartão de crédito por pessoas interpostas, transações com imóveis de alto valor e aquisições subfaturadas de veículos de luxo. Verificou-se, ainda, a prática constante de altas movimentações de valores em espécie, inclusive com uso do aparato de segurança pública.

A CGU apurou que as empresas envolvidas possuem um grande volume de contratos com o poder público. O valor total empenhado para sete empresas foi de R$ 142 milhões durante o período analisado, sendo R$ 17 milhões oriundos de convênios federais e repasses do SUS e do Fundeb. Ademais, foi possível constatar que os valores movimentados pelos envolvidos ultrapassam R$ 800 milhões, montante totalmente incompatível com o patrimônio e a atividade empresarial dos investigados.

Foram apreendidos nesta quinta-feira:
– R$ 1,7 milhão em seis veículos apreendidos;
– R$ 600 mil em espécie entre dólares, euros e reais;
– R$ 1 milhão em 33 relógios e dez joias de alto valor;
– R$ 139 mil em celulares.

Deixe uma resposta