Banner-fachadanucria

Pai espera por mais de seis horas para fazer denúncia

Homem de 74 anos é solto após molestar criança de três

 

Os pais de uma criança de três anos, que quase foi molestada por um homem de 74, chegaram ao Núcleo de Atendimento à Criança e Adolescente Vítima por volta de 13h30min de terça-feira. Às 7h30min. Ainda não haviam sido ouvidos pelo delegado.

Eles queriam denunciar Raimundo Paula de Oliveira, 74, que pediu para usar o banheiro da casa. A mãe da criança permitiu “por se tratar de um idoso”. Quando perceberam, o homem estava se masturbando e convidando a criança de três anos para ir  até o banheiro onde ele estava.

O pai da vítima flagrou a situação e prendeu o homem, levando-o à delegacia na sequência. “Ele ainda me ameaçou”, diz o pai, instalador e reparador de antenas Adilberto Vieira da Silva, um jovem de 27 anos. Ele não se conformava com a possibilidade de o homem ser solto.

“O que eu posso fazer?”, perguntava, indignado. “Se eu mato um homem desses, eu vou preso. Meu Deus! Era minha filha que esse monstro queria violentar. E se eu não estou ali em cima da hora?”

A assessoria de imprensa da Polícia Civil admite um erro no proecsso de registro da denúncia. A pessoa que recepcionou os pais no Nucria entendeu que o crime deveria ser encaminhado para uma situação que resutasse em prisão. “Ocorre que o delegado ao tomar ciência do que ocorreu percebeu que não houve flagrante e a lei entende, nesses casos, que o crime foi um crime de menor potencial ofensivo”, disse o assessor da Polícia Civil, Pedro Paulo.

Não configurando flagrante, o delegado fez com que a denúncia retornasse ao Nucria. Nesse vai e vem, passaram-se quase seis horas de espera.

Resultado: foi lavrado um termo circunstanciado de ocorrência (TCO) e o acusado que chamou a criança para o banheiro enquanto se masturbava foi, mais uma vez, liberado, de acordo com o que exige a lei.

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*