280717-policia-casalsuicida-cedida

Pais de Bruna Borges também cometem suicídio

Casal foi encontrado enforcado na garagem da casa

O subtenente do Exército Márcio Augusto de Brito Borges e a enfermeira Claudineia da Silva Borges foram encontrados enforcados na garagem da casa onde moravam na vila militar do Bosque. A Polícia Militar foi acionada e ao chegar ao local encontrou o casal já sem vida. Eles eram pais da estudante de Sociologia da Ufac Bruna Borges que também se suicidou há dois dias no mesmo local.

De acordo com um sobrinho de Claudeineia,momentos antes de cometer suicídio, ela teria telefonado para ele. Na ligação ela teria dito que ele deveria vir buscar o carro da família. “Não vamos mais precisar dele”, avisou. Desconfiado, o jovem avisou a outros membros da família, que acionaram a polícia.

Mas, não houve mais tempo para nada. Tudo aconteceu por volta das 13h. Márcio Brito serviu o Exército por 28 anos. Não estava de serviço em função do luto pela filha. 

De acordo  o comandante de Fronteira Acre/4º Bis, Coronel Wellington Valone Barbosa, o militar estava sendo assistido pelo capeão militar e pela assistente social da unidade. A mãe de Bruna também recebia assistência de uma equipe de prfissinais do Iapen, local onde ela trabalhava. “Colocamos nosso capelão militar, que é evangélico e a nossa assistente social em contato com o casal. O contato rendeu, no inicio, frutos de que havia uma processo de acolhimento a essas palavras do capelão. Então foi verificado que o casal estava sentindo menos a dor e isso de certa forma nos deixou a impressão que um fato como esse não poderia vir a acontecer.”

A casa da família foi periciada e teriam sido encontrados materiais escritos. As cartas estão em posse da Polícia Civil, que investiga caso.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*