310317-policia-acusadoestupro-cedida

Policia Civil prende acusado de estupro e foragido

Camerindo estava fugido da Justiça de Rondônia

A Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Proteção a Criança e ao Adolescente (DEPCA), prendeu ontem pela manhã (30) Camerindo Gomes Borges, 33, acusado de abuso sexual das três filhas.

A prisão do acusado foi efetuada em uma residência localizada no bairro Belo Jardim, região periférica da Capital, onde vivia com a mulher e as três filhas. A apresentação foi feita na manhã desta sexta-feira, 27, na Delegacia de Proteção à Mulher (DEAM), localizada na Via Chico Mendes, bairro Triangulo.

Borges tem prisão preventiva decretada pela Vara da Infância e Juventude de Porto Velho/RO pelo crime de estupro ocorrido em 12 de janeiro em Candeias do Jamari-RO, Distrito de Porto Velho. O acusado estava foragido de Rondônia desde o dia 5 de fevereiro desse ano.

No Acre, o acusado foi preso através de uma denúncia anônima registrada na DEPCA, dando conta de que os abusos contra as crianças, com idade de 8, 10, e 13 anos, continuavam a acontecer, fato confirmado através de exame sexológico realizado pelo Instituto Médico Legal (IML).

Investigação criminal

A equipe de investigação deu os primeiros passos no sentido de prender o acusado de estupro. Ao tomar conhecimento da situação a delegada responsável pelo caso, Elenice Frez, constatou que havia um mandado de prisão em aberto em desfavor de Borges pelo mesmo crime que estava sendo investigado.

“Tivemos a informação de que esta pessoa estaria abusando sexualmente das filhas e a tomar conhecimento da situação fizemos uma pesquisa e descobrimos que havia um mandado de prisão em aberto. A partir daí identificamos a pessoa e o endereço e efetuamos a prisão do mesmo”, disse a delegada Elenice Frez.

A delegada ressaltou ainda que, as denúncias da população tem surtido efeito para elucidação de crimes relacionados. “O protagonismo da população é essencial para êxito do trabalho da polícia. A população deve denunciar e deve seguir confiando na Polícia Civil, isso é uma resposta do Estado para que os responsáveis para esse tipo de crime não fiquem sem punição”, ponderou Elenice Frez.

A mãe e as crianças receberam atendimento médico psicológico e assistencial no sentido de amainar os prejuízos as vulneráveis. Já o pai será conduzido ao presidio local e colocado à disposição da justiça dos dois Estados.

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*