thumb Acusados-matar-Queiroga

Polícia Civil prende acusados de matar o empresário Queiroga

O latrocínio ocorreu no dia 6 de junho, na empresa da vítima

A Polícia Civil apresentou, na manhã desta segunda-feira, 23, dois homens acusados de matarem a tiros, durante assalto, o empresário Getúlio Magalhães Dantas Queiroga, 60, e de atirarem contra o irmão dele, Jeová Queiroga. O latrocínio ocorreu no dia 6 de junho deste ano, por volta de 13 horas.

Os acusados são Izaquiel de Lima Machado, 26, e Willes Calado do Nascimento, 20, o “Chocolate”. Os dois são presidiários do regime semiaberto e moradores do bairro Mocinha Magalhães.

As prisões ocorreram na manhã de sábado, 21, sendo Izaquiel capturado na saído do presídio e Willes Chocolate em casa, quando preparava pasta de cocaína para venda. Na ocasião, a polícia apreendeu duas motos Honda CG Titan, roubadas, que estavam na posse dos acusados.

Uma das motocicletas estava com a placa adulterada. Segundo a polícia, é a mesma usada para dar fuga aos criminosos durante a tentativa de roubo seguida de morte do empresário. Entre os objetos apreendidos em poder dos assassinos estavam vários celulares, jóias, droga, R$ 1.850 e documentos de terceiros. A placa da moto vermelha que seria a usada no assalto aos irmãos Queiroga é; NAD-3138, mas os acusados alteraram para NAB-3138.

A equipe do delegado Karlesso Nespoli, da Delegacia Antiassalto, prendeu também Valclicia Felix da Costa, que seria ajudante de Chocolate na distribuição de droga no bairro, e,  descobriu que Willes foi quem atirou e matou o empresário e Izaquiel atirou contra Jeová. “Eu não vou ficar nem um ano na cadeia tá? Você vai ficar aí fora tá sabendo?” Bradou Willes, em tom de ameaça durante a apresentação à imprensa.

Na terça-feira, 17, também no bairro Mocinha Magalhães a Polícia Civil prendeu Erik de Lima Almeida 22 anos, acusado de ter participado no último dia 6 de junho do assassinato do empresário Getúlio Queiroga. O crime ocorreu em uma fábrica de pré-moldados no bairro Distrito Industrial, em Rio Branco.

Polícia Civil prende acusados de matar o empresário Queiroga

 O latrocínio ocorreu no dia 6 de junho deste ano, na empresa da vítima

A Polícia Civil apresentou, na manhã desta segunda-feira, 23, dois homens acusados de matarem a tiros, durante assalto, o empresário Getúlio Magalhães Dantas Queiroga, 60, e de atirarem contra o irmão dele, Jeová Queiroga. O latrocínio ocorreu no dia 6 de junho deste ano, por volta de 13 horas.

 

Os acusados são Izaquiel de Lima Machado, 26, e Willes Calado do Nascimento, 20, o “Chocolate”. Os dois são presidiários do regime semiaberto e moradores do bairro Mocinha Magalhães.

 

As prisões ocorreram na manhã de sábado, 21, sendo Izaquiel capturado na saído do presídio e Willes Chocolate em casa, quando preparava pasta de cocaína para venda. Na ocasião, a polícia apreendeu duas motos Honda CG Titan, roubadas, que estavam na posse dos acusados.

 

Uma das motocicletas estava com a placa adulterada. Segundo a polícia, é a mesma usada para dar fuga aos criminosos durante a tentativa de roubo seguida de morte do empresário. Entre os objetos apreendidos em poder dos assassinos estavam vários celulares, jóias, droga, R$ 1.850 e documentos de terceiros. A placa da moto vermelha que seria a usada no assalto aos irmãos Queiroga é; NAD-3138, mas os acusados alteraram para NAB-3138.

 

A equipe do delegado Karlesso Nespoli, da Delegacia Antiassalto, prendeu também Valclicia Felix da Costa, que seria ajudante de Chocolate na distribuição de droga no bairro, e,  descobriu que Willes foi quem atirou e matou o empresário e Izaquiel atirou contra Jeová. “Eu não vou ficar nem um ano na cadeia tá? Você vai ficar aí fora tá sabendo?” Bradou Willes, em tom de ameaça durante a apresentação à imprensa.

 

Na terça-feira, 17, também no bairro Mocinha Magalhães a Polícia Civil prendeu Erik de Lima Almeida 22 anos, acusado de ter participado no último dia 6 de junho do assassinato do empresário Getúlio Queiroga. O crime ocorreu em uma fábrica de pré-moldados no bairro Distrito Industrial, em Rio Branco.

 

Deixe uma resposta