23072020-profissional-ilegal

Polícia Civil prende mulher que exercia profissão ilegalmente

Ela atuava na farmácia do Hospital das Clínicas

Poliana Moreira de Araújo foi presa em flagrante quando trabalhava na farmácia do setor de nefrologia do Hospital de clínicas, antiga Fundhacre.

Há 10 meses ela faz a entrega de medicamentos para as pessoas que fazem tratamento renal. Para quem ficava internado, esses remédios precisavam ser manipulados e mesmo sem concluir o curso de farmácia ou ter o registro no conselho da categoria, ela foi trabalhar no setor onde o atendimento é considerado especializado.

O delegado Pedro Resende explicou que, no primeiro momento, Poliana Araújo, que aparece nas fotos usando jaleco, vai responder por exercício irregular da profissão, mas se falsificou algum documento para ingressar no hospital, pode responder por outros crimes.

A primeira investigação foi do Conselho Regional de Farmácia, que recebeu a denúncia e ao buscar informações no hospital, se deparou com Poliana manipulando remédios complexos. A denúncia então foi parar na Polícia Civil, que levantou junto ao hospital todas as informações sobre a funcionária irregular, que aparecia nos documentos como farmacêutica, em cargo comissionado a faculdade onde ela ainda estuda. A polícia informou que neste caso, ela não poderia atuar na área, porque ainda não concluiu o curso.

Deixe uma resposta