Banner PFMOA

Polícia Federal deflagra operação e prende seis no Juruá

Duas pessoas foram prasas em Cruzeiro; quatro em Mâncio Lima

A Polícia Federal deflagrou, na madrugada de hoje (17), a Operação Alto Moa com o objetivo de reprimir o tráfico ilícito de drogas nas fronteiras do Brasil. Oitenta Policiais Federais estão dando cumprimento a 23 mandados de prisão e a 16 mandados de busca e apreensão. As buscas se estendem pelos municípios de Mancio Lima, Cruzeiro do Sul e Rio Branco. A quadrilha está sendo investigada por seu envolvimento com traficantes em outros estados.

Em Cruzeiro do Sul foram presas 2 pessoas, e quatro em Mâncio Lima. Outras duas ainda estão sendo procuradas. As buscas se estenderam ainda pela capital. A Operação visa prender os articuladores do trafico.

“Nosso objetivo era prender esses articuladores dessas organizações criminosas. Só no ano passado foram presas doze pessoas fazendo já parte dessa operação”, relatou o delegado da Policia Federal em Cruzeiro do Sul, Milton Neves.

A operação teve origem com informações coletadas ao longo de diversos trabalhos  de repressão ao tráfico de drogas, realizados pela Superintendência Regional no Estado. As mulas e os traficantes presos, no período de um ano de investigações, foram interrogados e investigados. Os dados colhidos permitiram identificar uma organização criminosa que agia nas fronteiras do estado transportando cocaína em veículos particulares e em ônibus estaduais e interestaduais. Ano Passado, somente no estado foram apreendidos 700 kg da droga.

“Maior parte dessa droga que saia da região do Alto Moa, passando pela fronteira tinham destino para região do Nordeste. No ano passado prendemos inclusive Pará, uma pessoa com droga oriunda daqui”, explicou o delegado de Rio Branco Agnaldo Moscard.

Os envolvidos responderão pelo crime de tráfico de drogas e associação para o tráfico, cujas penas podem chegar a 25 anos de prisão.

O combate ao tráfico de drogas em fronteiras

A Polícia Federal endureceu a luta contra o tráfico de drogas e vem fortalecendo os trabalhos de vigilância e inteligência nas fronteiras brasileiras. No ano passado, houve recorde nos históricos na apreensão de cocaína, maconha e de bens de grandes organizações criminosas especializadas em tráfico de drogas. Foram apreendidas 35,7 toneladas de cocaína, 220, 7 toneladas de maconha e R$ 80,1 milhões em bens.

A PF também realizou trabalhos conjuntos com os governos de países produtores, evitando assim que as drogas cruzem as fronteiras do Brasil.

“A operação tem o nome de Alto Môa em decorrência da maior parte da droga entrar no estado por essa região. A maioria das pessoas das organizações criminosas estão situadas aqui na região de Cruzeiro do Sul”, finalizou o representante da Superintendência da Policia Federal no Acre, Maurício Moscard, que também enfatizou que o aumento das apreensões está relacionado com a desarticulação das grandes organizações criminosas especializadas em tráfico de drogas e a maior presença da PF nas fronteiras.

Deixe uma resposta