Policiais civis de todo o país buscam garantir entrada em locais de votação portando arma de fogo

A resolução do TSE proíbe que qualquer profissional de área de segurança entre com a arma no local de votação

O Tribunal Superior Eleitoral emitiu uma resolução na quinta-feira (29) que proíbe as pessoas que tem porte de arma entrarem armadas no local de votação, inclusive policiais. Diante disso, os policiais civis de todo o Brasil entraram com um mandado de segurança contra essa decisão.

“Esse mandado de segurança foi impetrado pela COBRAPOL (Confederação Brasileira dos Policiais Civis) em razão justamente disso, a decisão do TSE ela proíbe que todas as pessoas que tenham porte de  arma se apresente ao local de votação portando suas armas. E nós policiais não andamos armados porque queremos, é porque devemos andar armados”, informou o  presidente do Sindicado dos Policiais Civis do Acre, Alexandre Oliveira.

O presidente disse ainda que entrar com arma no local de votação é por uma  questão de segurança dos profissionais e da população. “Ninguém sabe uma ocorrência que pode surgir até mesmo no local de votação, e a polícia deve agir sempre que solicitado. E sem a arma, nosso instrumento de trabalho, é um tanto complicado”, disse.

A resolução do TSE proíbe que qualquer profissional de área de segurança entre com a arma no local de votação, mesmo que não esteja em seu horário de trabalho.

Com informações de Jardel Angelim para a Tv Gazeta

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*