141216-policia-jovenssematando-cleriston

Quase metade dos homicídios no Acre envolve jovens

Sexo masculino forma maioria das vítimas

A juventude do Acre está se matando. Dados da Secretaria de Estado de Segurança Pública mostram que entre os jovens de 18 e 29 anos (critério de “jovem” para o IBGE), morreram assassinados, 119 de janeiro a novembro deste ano.

“Isso corresponde a 44 por cento de todos os homicídios ocorridos no Acre nesse período de janeiro a novembro”, constata o diretor de Planejamento e Gestão Estratégica da Secretaria de Estado de Segurança Pública, Renan Biths. “Estamos nos deparando com esse fenômeno essse ano”.

O quadro se agrava mais quando se soma a situação dos adolescentes envolvidos com o crime. De janeiro a novembro, a Secretaria de Estado de Segurança Pública contabiliza 30 assassinatos: 26 meninos e 4 meninas.

Uma diferença de metodologia é preciso ser feita entre o que é usado pela Secretaria de Estado de Segurança Pública e o IBGE. O instituto usa como critério para quantificar “juventude” o registro civil, enquanto o Governo do Acre utiliza o inquérito policial para a formulação de dados de jovens envolvidos com o crime.

Semana passada, o IBGE divulgou dados em que mostra redução do número de mortes entre jovens no Acre. A redução foi apontada em 37%, enquanto no amazonas houve aumento de 73%. Os dados referem-se a 2015.

Em relação à execução de políticas públicas transversais entre a Secretaria de Estado de Segurança Pública e a Assessoria Especial da Juventude, são dois programas executados: Comunidade Segura e o Expressão Jovem. O primeiro é um programa mais pontual e atua em locais onde há alta incidência de criminalidade; o segundo atua de forma mais estruturante e preventiva. Cruzeiro do Sul também é uma cidade onde há atuação dos programas da assessoria de Juventude.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*