Banner Rio-Acre-2014

Em 2014, sete pessoas morreram nas águas do Rio Acre na Capital

Domingo, uma mãe morreu tentando socorrer o filho

Mais uma vítima de afogamento morre na Capital. Tentando socorrer o filho, mulher perde a vida nas águas do rio Acre. Segundo o Corpo de Bombeiros, do início do ano para cá, foram registrados sete casos de afogamento. Na maioria deles, crianças estão envolvidas, e as causas são por imprudência.

Neste domingo, em um dia de lazer em uma das praias do bairro Preventório Alda Mendes perdeu a vida. Ela estava com amigos e filhos às margens do rio Acre, quando uma das crianças se afogou. Para socorrer, Alda se jogou no rio, perdeu as forças e acabou morrendo por afogamento. A criança foi socorrida e passa bem. A tragédia aconteceu na tarde deste domingo.

De janeiro até hoje, o corpo de bombeiros já registrou sete casos de afogamento em Rio Branco. Em 2013, foram seis ocorrências no mesmo período. Os pedidos de socorro são registrados no Ciosp, e segundo o coordenador da central, o Major BM Charles, na maioria dos casos, crianças estão envolvidas. As causas de afogamento, de acordo com o major do Corpo de Bombeiros, estão ligadas à imprudência. “Vai desde o desconhecimento sobre o local que está tomando banho, não saber nadar e a imprudência. As vítimas são levadas pela correnteza, pisam em poços”, explica.

A preocupação do Corpo de Bombeiros aumenta a partir de agora, quando os bancos de areia se formam devido a baixa do nível do rio. Atividades de conscientização em escolas, principalmente são promovidas, como forma de alertar para os riscos e evitar acidentes.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*