Em Rio Branco, servidora da Upa da Sobral é atacada por paciente

Falta de segurança nas Unidades são denunciadas ao MPAC e Assembleia Legislativa

Na madrugada do último sábado (28), uma servidora da Unidade de Pronto Atendimento (Upa) Franco Silva, localizada no bairro Sobral, foi atacada verbalmente por um paciente que não gostou das perguntas feitas rotineiramente pelos médicos.

Segundo testemunhas, a profissional só não foi atacada fisicamente porque outros funcionários da unidade, além do familiar que acompanhava o agressor, impediram que a situação ficasse mais séria.

A Polícia Militar chegou a ser acionada, mas a viatura não se deslocou a tempo de prender o suspeito. Para o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Acre (Sintesac), Adailton Cruz, essas ocorrências ficaram mais graves após o Governo do Acre retirar os vigilantes que faziam a segurança privada das Unidades de Saúde do estado.

“Infelizmente a polícia disse que coloca uma equipe monitorando a região, mas na unidade não tem ninguém, eles não estavam presentes fisicamente, e a população e os profissionais estão expostos”, explica.

Cruz recebeu a denúncia da servidora para que providências sejam tomadas. O processo será levado ao Ministério Público do Acre (MPAC), Assembleia Legislativa e até à Secretaria de Estado da Saúde (Sesacre).

Com informações do repórter Jardel Angelim

Deixe uma resposta