DSC 0006

Transferência de presos conclui e desafoga delegacias

Cerca de 200 presos foram transferidos

No final da última semana, as forças de segurança pública transferiram presos para a penitenciária de Senador Guiomar e remanejaram outros que estavam em delegacias, para o presídio da capital.
Na última quinta-feira (23) iniciou a transferência de 200 presos do Complexo Penitenciário Francisco de Oliveira Conde para o presídio de Senador Guiomard. Com determinação judicial para o Instituto Penitenciário não autorizava a entrada de mais ninguém no complexo da capital até que novas vagas surgissem, as delegacias passaram a pagar o preço.
Sem estrutura as unidades da Polícia Civil foram acumulando presos nos últimos meses. Os problemas logo apareceram. As reclamações vieram dos dois lados, dos agentes e delegados e também dos próprios detidos. Mesmo durante a transferência dos presos foi possível verificar a gravidade do problema. Um deles com suspeita de tuberculose foi atendido pelo Samu. Outro preso também estaria com a doença. A reportagem da TV Gazeta flagou agentes utilizando máscaras na delegacia.
No total, foram conduzidos a penitenciária, 94 presos que estavam nas delegacias.
Segundo o diretor de polícia Nilton Boscaro, a transferência significa um retorno das condições ideais para o trabalho dos servidores. “Segundo a determinação da juíza, um dos fundamentos era o princípio da dignidade da pessoa humana dos presos. Só que esse princípio estava sendo violado mais dentro das unidades policiais do que no sistema prisional”, disse.
Para o trabalho de transferência tanto entre penitenciárias, quanto das delegacias para o presídio, participaram 60 agentes de segurança pública. Para Senador Guiomar, foram remanejados presos em caráter definitivo, esse foi um dos critérios para a iniciativa paliativa ao problema da superlotação carcerária da capital.

Deixe uma resposta