Vigilância Sanitária recolhe alimentos vencidos de presídio

Cerca de uma tonelada de alimentos foi recolhida do presídio do Senador Guiomard

A situação foi constada pelo Ministério Público do Acre (MPAC), durante uma visita realizada sexta-feira (30) pelo promotor de Justiça, Tales Tranin, e pelo vice-presidente do Instituto de Administração Penitenciária (Iapen), Glauber Feitosa, no presídio de Senador Guiomard.

“O Ministério Público fez uma inspeção no presídio do Quinari juntamente com o vice-presidente do Iapen o Glauber, na sexta-feira, lá vários reeducandos denunciaram que estava sendo entregue pouca quantidade de comida e que os alimentos estavam indo estragados. Com essas duas denúncias o Ministério Público constatou nas marmitas uma quantidade pouca de comida e pesamos e realmente a quantidade deu por volta de 650 g e o contrato para cozinha obrigada 800 g de comida”, informou o promotor Tales Tranin.

Além da quantidade de comida em desconformidade com o contrato, o promotor de justiça também encontrou alimentos como carne, frango, salsichas, mortadelas e linguiças sem condições de serem consumidas.

“Nós fomos para a câmara fria e lá a gente constatou essa uma tonelada e meia de comida, lá tinha comidas vencidas e acondicionada de formas irregulares para o consumo e também não tinha o prazo de validade que é uma obrigação do código do consumidor. Então o Ministério Público e a vigilância sanitária do município que foi até o local fez o auto de infração e agora o Ministério Público tá oficiando para os promotores da Comarca de Senador Guiomard para tomar providências e também para o diretor responsável dos contratos do Iapen, o Salomão, para que seja tomada as medidas legais cabíveis” destacou o promotor.

 A Unidade Penitenciária do Quinari possui atualmente cerca de 500 reeducandos. Todos com o direito a três refeições diárias sendo: café, almoço e janta com qualidade, garantido a dignidade da pessoa humana.

 “O estado paga para ter qualidade a qualidade e a quantidade, então tem que ser respeitado” concluiu Tranin.

Informações da repórter Aline Rocha para TV Gazeta.

Foto: TV Gazeta.

Deixe uma resposta