110320-exercito-gov-acre

7º BEC vai produzir mudas para recuperar áreas degradadas

Equipe do Viveiro da Floresta será responsável pelas aulas

O curso prático de produção de mudas de espécies florestais nativas da Amazônia, realizado pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), colabora diretamente na recomposição florestal de áreas degradadas, dentro do Programa de Regularização Ambiental (PRA) no Acre.

O projeto é uma parceria com o 7º Batalhão de Engenharia de Construção (7º BEC), que destacou 10 militares para a primeira turma. Ao final do curso, que terá duração de 30 dias, eles receberão certificado de viveirista.

“Teremos militares com a capacidade de fazer a recuperação das nossas áreas degradadas. O batalhão oferece várias oportunidades de autoaperfeiçoamento, cabe a cada um saber fazer uso dessas oportunidades na vida. É uma iniciativa pioneira no estado. Além de colaborar com o processo de recomposição de áreas degradadas, vamos trabalhar na recomposição paisagística da área de nascente do lago do 7º BEC”, reforçou o tenente coronel Augusto Maciel.

A equipe do Viveiro da Floresta será responsável por conduzir as aulas teóricas e práticas. A aula inaugural, que aconteceu nesta última segunda-feira (9), contou com a palestra do engenheiro florestal e técnico responsável pelo PRA da Sema, André Pellicciotti, com o tema “Recomposição florestal de ecossistemas: produção de mudas de espécies florestais nativas da Amazônia”.

O curso está dividido em três unidades, com abordagens sobre aspectos legais sobre a produção de sementes e mudas no Brasil, a importância biológica das sementes, coleta e produção de sementes, seleção e escolha de matrizes, beneficiamento e armazenamento. Vai trabalhar ainda noções básicas de cultura de tecido vegetal, prática de coleta de sementes em alturas, com uma atividade de campo na Embrapa e práticas de Educação Ambiental.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*