211217-politica-analfabetismo-divulgacao

Acre tem a maior taxa de analfabetismo do NO

Quase o dobro da taxa de todo país, calculada em 7,2%

O Acre tem a maior taxa de analfabetismo do Norte do país, com 13,1%. É uma porcentagem que se equipara à maioria dos estados do Nordeste, região com maior concentração de analfabetos. No Norte, quem está conseguindo praticamente erradicar o problema é o Amapá, com taxa de 5%.

O número da Pnad Contínua com módulo específico de Educação surpreendeu porque o governador do Estado, Tião Viana, já havia dado declarações de que iria solicitar a presença de consultores da Unesco para averiguar o analfabetismo no Acre. A lógica era a seguinte: uma coisa é o representante do Estado dizer que o analfabetismo fio erradicado; outra é um organismo da ONU dizer isso.

Quem raciocina assim é porque está com a casa quase limpa. Mas, a PNAD Contínua/Educação mostrou que há muito a fazer ainda. A coordenação do programa criado pelo Governo do Acre para erradicar o analfabetismo, o Quero Ler, mostra os números atuais.

O programa já alfabetizou 32.991 pessoas no Acre. Outras 18,8 mil estão sendo alfabetizadas. “Ainda há um déficit de dez mil e quinhentas pessoas que nós vamos alfabetizar, fazendo buscas ativas, correndo atrás para alcançar a meta de erradicar esse problema”, disse a coordenadora geral do Quero Ler, professora Maria Augusta Rosas, que coordena uma equipe de 1,3 mil educadores em todo estado.

População jovem analfabeta

O chefe da unidade do IBGE no Acre, Marco Esteves, destaca um detalhe sobre o problema. “Ainda não temos o detalhamento sobre onde está a maior concentração de analfabetos, em qual faixa etária, mas se o Acre acompanhar a tendência nacional é possível que tenhamos maior concentração na população mais velha. Mas, o problema maior está no outro extremo: as pessoas jovens analfabetas. Deveria ser aí que deveria haver maior eficiência do poder público”.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*