280117-politica-angelim-assessoria

Amac: Angelim fala em “contaminação” por disputas

“Que a Amac não se desvirtue de sua missão”

O deputado federal Raimundo Angelim (PT/AC) se mostra preocupado com a futuro da Associação dos Municípios do Acre (Amac). O parlamentar foi um dos gestores que concebeu a instituição quando era prefeito de Rio Branco. À época, a associação se contrapôs a grupos liderados por políticos de oposição à Frente Popular, como a Frente de Prefeitos do Acre e a Associação dos Prefeitos do Acre.

“Foi com o propósito de suprir as demandas das prefeituras, especialmente nas áreas do planejamento urbano, saneamento, infraestrutura, dentre outras que propus a criação da AMAC”, lembra o agora parlamentar Angelim, em declaração divulgada por sua assessoria.

“Em um estado com apenas 22 municípios, a meu juízo, não se justificava a existência de duas entidades que, ao invés de cumprirem a missão de apoiar as gestões municipais, reproduziam internamente a disputa política local e sob o ponto de vista técnico e de viabilização de recursos para investimentos nas cidades se mostravam fragilizadas”, afirmou, justificando a extinção da Associação de Prefeitos do Acre e da Frente de Prefeitos do Acre.

Agora,o grupo político ao qual pertence Angelim perdeu a presidência da Amac. É a primeira vez em 12 anos que gestores da oposição à Frente Popular do Acre assumem essa função.

“Faço um apelo para que os atuais gestores municipais usem de bom senso e cuidem bem dessa associação, não desvirtuem de suas finalidades, evitem contaminá-la com as disputas partidárias, pois o maior capital dela é a competência técnica e credibilidade, duramente conquistadas que, caso venha a perdê-las, a grande perdedora, na verdade, será a população de nossos municípios, que paga impostos e quer o melhor para as cidades”.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*