Banner lupi

Carlos Lupi nega que iria receber R$ 3 milhões para criar sindicato

“O PDT precisa ter prestígio maior”, diz presidente nacional da sigla

O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, esteve em Rio Branco na última quarta-feira, 12, para participar da inauguração da sede regional da sigla. Durante a visita, ele também aproveitou para participar de outros compromissos políticos.

Lupi esteve reunido com o governador Tião Viana(PT). O motivo do encontro: pedir apoio para eleger Luiz Tchê a Câmara Federal. “O PDT precisa ter prestígio maior”, declarou. O chefe do executivo acreano disse que vai estar empenhado durante a campanha.

Já em relação a uma possível candidatura de Tchê ao próprio governo estadual caso a ajuda não seja confirmada, Carlos Lupi enfatizou que todas as possibilidades estão sendo estudadas. O PDT estabeleceu metas para às próximas eleições.

O objetivo é eleger entre 35 e 40 deputados federais; e até cinco senadores. No Acre, a sigla pretende lançar chapa própria e também fazer uma aliança com partidos menores para a Câmara. Lupi confirmou que foi procurado pelo pré-candidato ao palácio Rio Branco, Márcio Bittar(PSDB).

No cenário nacional, Carlos Lupi destacou os avanços conquistados pelo PT e expôs que são grandes as chances de apoiar a reeleição da presidente Dilma Rousseff. Ele citou Marina Silva como um fenômeno. Sobre a ida da acreana para o PSB de Eduardo Campos, Lupi foi direto: “Hoje não tenho certeza o que isso representa.”

Ex-ministro do Trabalho, ele foi retirado do cargo por denúncias de corrupção. Segundo as acusações, o esquema envolvia até a participação de Ong’s. Recentemente, a empresária Ana Cristina Aquino afirmou que Lupi iria receber R$ 3 milhões, em troca, ele autorizaria a criação de um sindicato de cegonheiros em Pernambuco. “Esta senhora é uma criminosa. Nunca me corrompi. Não vou sossegar enquanto vê-la na cadeia”, disparou.

Deixe uma resposta