3011-politica-sefaz-gleilsonmirandasecom

Déficit primário do Acre é o 5º maior do Norte

STN diz que Estado tende ao equilíbrio das contas

A Secretaria da Receita do Tesouro Nacional analisou a saúde financeira dos estados do Norte tendo como referência o período de 2012 a 2015. O Acre tem o 5º maior déficit primário da região, contabilizado em R$ 80 milhões.

Mas, o consolo é que Sefaz/AC tem conseguido uma tendência de equilíbrio das contas públicas. A Secretaria da Receita do Tesouro Nacional estima gastos e receitas e, nessa estimativa, a tendência do Acre é pelo equilíbrio. Na mesma situação que o Acre, estão os estados do Amapá (- R$ 239 milhões) e Roraima (- R$ 97 milhões).

Isso significa dizer que o tanto que esses estados arrecadam (o que entra de dinheiro nos cofres dos estados) menos o que eles gastam (custo da máquina pública com Saúde, Educação, Segurança, Infraestrutura) está no vermelho.

Rondônia, com déficit primário de R$ 262 milhões, e o Amazonas, com déficit primário de R$ 235 milhões, estão em pior situação porque a tendência é de aumento no custeio da máquina pública. Nesses dois estados, de acordo com a Secretaria da Receita do Tesouro Nacional, a tendência é de piora.

Os únicos estados do Norte que têm superávit primário (estão com as contas “no azul”) são os estados do Tocantins (R$ 349 milhões) e Pará (R$ 53 milhões).

“Não existe nenhum tipo de política de ajuste fiscal no Acre”, contextualiza o professor de Economia da Ufac, Rubicleis Gomes da Silva. “Não quebramos porque somos pequenos. A médio prazo, tendemos a estourar e um exemplo que concretiza isso é o Acreprevidência”.

A Secretaria de Estado de Fazenda do Acre foi acionada, assim como a assessoria do Governo, para tratar do assunto, mas, até o momento, nada foi dito sobre o problema. O site AGazeta.Net mantém aberto o espaço para as explicações.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*