020217-politica-raimundinhodasaude-tvgazeta

Deputados querem servidores irregulares indenizados

“Eles podem ser demitidos sem nenhum direito”

A futura demissão de mais de 300 servidores da Saúde do Acre foi tema na Assembleia Legislativa do Estado. Essa demissão foi ordenada pela Justiça após os aprovados no último concurso ingressarem com ação no Ministério Público, alegando que havia servidores em situação irregular, enquanto eles estavam aprovados, mas não foram convocados.

A deputada Eliane Sinhasique utilizou a tribuna para falar da negligência do governo em manter por mais de 20 anos esses funcionários em situação irregular.
“Esperamos é que o Estado pague todos direitos trabalhistas desses servidores, para que eles, com esse dinheiro, possam seguir suas vidas, montar um pequeno negócio, dar uma sequência digna para seus dias. O que a gente não pode permitir é que sejam jogados na rua com uma mão na frente e outra atrás”.

O presidente da Comissão de Saúde da Aleac, Raimundinho da Saúde, informou que essa situação é mais grave do que parece, porque os servidores podem ser demitidos sem nenhum direito garantido.

Ele disse que está em conversas com os sindicatos e o Ministério Público para também encontrar uma alternativa para o caso. “Nós vamos, junto com os sindicatos, prestar auxilio jurídico a esses servidores, para que eles tenham, na Justiça, a garantia de, no mínimo, serem indenizados”.

Como não há mais prazo, a preocupação não é só com a demissão dos servidores, mas também com a falta de profissionais que isso pode gerar. “É uma preocupação muito grande. Nós vemos hoje o Estado do Acre com um déficit muito grande de profissionais e com um número de mais de 300 sendo demitidos hoje dentro da Saúde vai criar um caos”.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*