thumb geraldo-pereira-02

Eleições 2014: deputados reagem contra ex-secretários

Líder do PT na Assembleia sai em defesa de concorrentes

Não é de hoje que os deputados da base governista nutrem um descontentamento com o fato dos cinco secretários de governo, exonerados nesta terça-feira, 1º, serem candidatos às vagas da Assembleia Legislativa. Agora que a notícia é oficial, o deputado Luiz Tchê(PDT), que sempre foi contra a candidatura dos secretários, se rendeu aos fatos. “Desde o início que eu fui contra a candidatura dos secretários, mas agora eles decidiram que serão candidatos, então não temos mais o que fazer”, lamenta Luiz Tchê.

Os cinco secretários que se afastaram dos cargos para tentar a eleição como deputados vão concorrer pelo Partido dos Trabalhadores. O líder do PT na Assembleia, deputado Geraldo Pereira, foi duro com os colegas deputados governistas que ainda guardam alguma mágoa. “É normal que um ou outro fique descontente, mas não podemos abrir mão de nosso patrimônio político. Se eles foram bem no exercício da função de secretários, então queremos que eles sejam candidatos”, declara Pereira.

O líder do governo na casa, deputado Astério Moreira (PEN), tenta minimizar o descontentamento dos colegas da base, afirmando que o clima de disputa é natural nesse período, e que essa situação faz parte da política. “O ciúme é de qualquer um que esteja disputando, não é porque é secretário. E não é um descontentamento direcionado ao governo, é uma situação onde quem também é candidato não quer que o outro ganhe”, afirma Astério Moreira.

Mas é na oposição que os deputados governistas se veem mais representados em seu descontentamento. O líder da bancada, deputado Whreles Rocha (PSDB), diz abertamente tudo que os deputados governistas só tem coragem de falar nos bastidores. “O que nós questionamos é esse período de campanha antecipada que os secretários fizeram, com doações de equipamentos, concessão de benefícios e outras coisas típicas de período pré-eleitoral”, afirma Rocha

Dos 24 deputados que ocupam cadeiras no parlamento atualmente, pelo menos 20 vão disputar a reeleição este ano. A opinião mais sensata vem do deputado Walter Prado(PROS). Nas últimas eleições era considerado um concorrente fraco, mas surpreendeu os colegas conquistando seu terceiro mandato, por isso se tornou a voz da experiência. “ Isso não me assusta, pois a população sabe reconhecer aquele que trabalhou, seja como secretário ou no exercício do mandato, e eu sou um exemplo disso”, afirma Prado.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*