030719-politica-gov-cartel

Deputados vão investigar “cartel do Depasa”

Governador levantou suspeitas de formação de cartel

O governador do Acre já levantou questionamentos e suspeitas de formação de cartel, fraude ou irregularidades em alguns órgãos e secretarias do Estado. Em maio, Gladson Cameli falou repetidas vezes, sobre o descontentamento dele com o setor da saúde. Chegou inclusive a repetir que pessoas estariam atrapalhando as ações de trabalho da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre).

Como resultado desse comentário, o assunto veio parar na Assembleia Legislativa do Acre e esta semana, outra vez Cameli levantou uma suspeita de irregularidade. Só que agora, no Depasa.

Foi durante um programa de rádio que o governador falou sobre o caso. Durante a entrevista, Cameli levantou a suspeita de corrupção dentro do órgão estadual. Uma dos questionamentos do governador seria o porquê das bombas só serem ligadas em horário de pico, dando a entender, de forma sutil, que poderia existir uma relação de interesse entre servidores do departamento e donos de carros pipa, e mais uma vez, o assunto virou pauta pelos corredores da Assembleia.

O deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB), acredita que, apenas da forma como o caso foi abordado, é interessante, sim, investigar.

“Quando eu estive diante do Depasa eu enfrentei a maior seca da Amazônia como presidente e conseguimos abastecer Rio Branco que é o grande desafio de abastecimento e na época Acrelândia e Bujari fazendo tarefas importantes para não faltar água para a população, enfrentamos também a maior enchente da história de Rio Branco e naquela época conseguimos abastecer. Ouvimos muitos comentários na época que nós estávamos lá que as empresas de carros pipas estavam tendo prejuízos e se agora voltaram a ter lucro, não sei se estão conseguindo abastecer devidamente, nisso o Governador chama os seus diretores e deve tratar da forma que achar melhor para não ficar uma suspensão generalizada no ar”, disse o dep. Estadual / PCdoB, Edvaldo Magalhães.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*