thumb govACRO

Rondônia: Tião discute saídas para evitar desabastecimento

Abastecimento no Acre está comprometido em 70%

O governador do Acre, Tião Viana foi recebido no Palácio Getúlio Vargas pelo governador de Rondônia, Confúcio Moura. Os governantes discutiram alternativas para o transporte de cargas de Porto Velho à Rio Branco.

Viana disse que seu Governo tem levado em conta todas as possibilidades de logística para garantir a chegada das cargas ao Acre e que sua visita a Rondônia tem com principal objetivo buscar apoio junto ao Estado vizinho.

O governador foi recebido no Palácio, onde também estavam o prefeito de Porto Velho, Mauro Nazif, o vice-governador Airton Gurgacz e representantes do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (DNIT) e da Polícia Rodoviária Federal.

Uma das viabilidades para o envio das cargas seria o aluguel de balsas para o embarque de caminhões na altura da comunidade Palmeiral, distante cerca de 180 km da capital rondoniense.

Alternativas

Tião Viana disse a Confúcio Moura que atualmente o Acre registra 70% de comprometimento de seu abastecimento regular. “Com os 30% de abastecimento que estamos mantendo com ajuda da Força Aérea Brasileira e do Dnit e PRF que ajudam na passagem de caminhões pela BR estamos quase fazendo uma mágica para manter o Acre abastecido”, comentou.

Confúcio Moura assegurou que o Acre, bem como o governo acreano, continuará recebendo apoio no que for possível. “No infortúnio é que a gente fica mais unido”, observou.

A meta, de acordo com Tião Viana, é que neste período crítico pelo menos 30 caminhões consigam trafegar até o território acreano para atender o Estado no que for essencial em bens de consumo. Mas, caso seja necessário interromper o tráfego na via por tempo indeterminado o governo acreano já viabiliza alternativas.

“Temos um entendimento de dois atalhos por balsas em Jaci-Paraná e outra para transporte de alimentos e bens de consumo, ao mesmo tempo, estamos recorrendo a uma balsa que está saindo de Porto Velho indo ao Amazonas, subindo o Purus e subindo o Rio Acre e outra saindo de Manaus que estão nos atendendo com gás, combustíveis e bens duráveis por via fluvial enquanto o Rio Acre e Purus não fiquem com seus níveis comprometidos”, detalha Tião Viana.

Confúcio Moura revelou que tem mantido contato diário com Tião Viana via telefone para dividir as responsabilidades e auxílios na questão da cheia do Rio Madeira. “Hoje Tião veio para analisar a situação em Jacy-Paraná, junto com a equipe dele e já está fazendo um estudo de um desvio e uma balsa que será utilizada pelo estado de Rondônia também. Essa balsa será importante, a única possibilidade de transporte para a região que está inundada e há possibilidade de ter outro desvio no Abunã”, concluiu Moura.

Após a reunião, Tião Viana seguiu para um sobrevoo nas áreas inundadas da BR-364 acompanhado pelo inspetor da Polícia Rodoviária Federal (PRF), João Bosco Ribeiro e pelo superintendente do Dnit, Fabiano Martins.

Deixe uma resposta