311017-politica-marcusalexandrecoletiva-tvgazeta 410 305

Empresário de Rondônia acusa prefeito de Rio Branco de dar calote

Assessoria de Marcus Alexandre nega acusação

O prefeito de Rio Branco, Marcus Alexandre, virou manchete em um jornal de Porto Velho-RO. O proprietário de um instituto de pesquisa, o Phoenix, está acusando o prefeito de contratar uma pesquisa para avaliar sua gestão e não pagar a conta.

O empresário Juvenil Coelho registrou uma queixa crime em Porto velho contra o prefeito. À polícia, ele disse que foi feito um acordo verbal e o trabalho ficaria por R$ 10 mil mais as despesas de transporte e alimentação da equipe.

À matéria jornalística, o empresário cita três pessoas que sabiam do acordo e até intermediaram. O primeiro é Afonso Vasconcelos, ex-vereador; depois, a assessora Socorro Lima, inclusive um cartão de visita da funcionária aparece na matéria, e por último o chefe do gabinete civil André Kamai.

A oposição fez questão de levar a matéria do jornal “o observador” para a câmara e isso rendeu uma publicação extra. Segundo deputado Roberto Duarte, além das denuncias de desvio de recursos, nas quais o prefeito está sendo investigado, agora é acusado de dar calote no estado vizinho. “Essa situação para mim é gravíssima. Como essa administração enfrenta problemas com as contas é preciso saber o que realmente aconteceu e cobrar um posicionamento mais sério desse prefeito”, lamentou.

A assessoria do prefeito informou que houve má fé do proprietário da Phoenix. O chefe da casa civil André Kama, garantiu que o serviço não foi contratado e Juvenil Coelho, quando veio a Rio Branco disse que já estava com a pesquisa pronta e queria vender. “Eu disse pra ele que as coisas não funcionam assim. É preciso fechar um contrato fazer toda a burocracia contábil para que um serviço seja pago pela prefeitura. Ele tentou vender uma pesquisa feita pelo WhatsApp que tinha apenas três páginas”, explicou.

Na entrevista ao jornal de Rondônia, o proprietário da Phoenix declara que o prefeito Marcus Alexandre não pagou a pesquisa porque os números não eram favoráveis ao seu governo.

A assessoria do prefeito ameaçou processar o empresário.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*