thumb ermiciosena

Ermício Sena é o novo presidente do PT no Acre

Assessor governo venceu Sibá com uma diferença de 482 votos

O sociólogo e assessor especial do governo Ermício Sena é o novo presidente do Partido dos Trabalhadores (PT) no Acre. Ele venceu o PED (Processo de Eleição Direta) realizado nesta domingo contra o deputado federal Sibá Machado. Ermicio obteve 1.468, contra 986 votos de Sibá. Uma diferença de 482 votos.
 
No diretório de Rio Branco, o vereador e líder do prefeito Marcus Alexandre na Câmara, Gabriel Forneck, venceu a militante histórica da legenda, Júlia Feitoza, fundadora do PT na década de 1980. Entre os eleitores deste domingo estava o governador Tião Viana (PT), que durante o fim de semana fez campanha para Ermício no Vale do Juruá.
 
Numa das disputas mais acirradas dos últimos anos, com o PT bastante dividido, como mostra a pouca diferença entre Sibá e Ermício, o PT agora se prepara para acalmar os ânimos por conta do acirramento na disputa, que provocou agressões físicas e verbas em evento realizado em outubro.
 
Sibá Machado aparecia como o candidato da minoria. Ao seu lado tem as tendências Democracia Socialista (DS), Esquerda Popular Socialista (EPS), Articulação e Articulação Sindical (Artsind). O grupo reúne a chamada “velha-guarda” do PT, responsável pela formação do partido no Acre e que se diz desprestigiada pela atual executiva.
 
Assessor especial de Tião Viana (PT), Ermício tem o discurso de manter as conquistas e avanços do PT na gestão de Leo Brito. Com doutorado na Espanha, o sociólogo atuou em funções importantes do governo petista e tem sua imagem como da “renovação” a que o partido tem se submetido para enfrentar o desgaste dos 15 anos de poder, o que lhe rende vitórias apertadas a cada eleição.
 
A seu favor Ermício tinha a vantagem de contar com a mobilização de toda a estrutura dos cargos comissionados do PT no governo e prefeituras. Esta mobilização e interferência do Palácio Rio Branco no PED é criticada pela ala mais à esquerda, que vê nisso a perda da livre escolha dos filiados no candidato de sua preferência.
 
Outro embate será a corrida ao Senado. O PT já oficializou a candidatura de Anibal Diniz –suplente de Tião Viana no Senado – mesmo com ele em desvantagem nas pesquisas. A legenda enfrentará queda de braço com o fiel aliado PCdoB, defensor de Perpétua Almeida como candidata única da Frente Popular por estar melhor posicionada nos levantamentos.

Deixe uma resposta