150119-cotidiano-arena-sucateada

Estádio Arena da Floresta está sucateado

Equipamentos quebrados e outros sumiram

O governo do Estado vai ter que fazer modificações no Estádio Arena da Floresta para poder manter aberto os portões ao público durante o Campeonato Acreano que começa na próxima semana e jogos da Copa do Brasil.

Algumas condições do estádio chamam a atenção pelo descaso. Começa pelo carrinho de maca doado pela Federação de Futebol do Acre que hoje está jogado num depósito. Várias peças do veículo elétrico sumiram. No mesmo depósito ninguém entende porque existem até pneus de caminhão.

O gramado está sendo aparado com uma máquina antiga. A nova, também doada no ano passado pela federação, desapareceu na mudança de governo.

Algumas alas precisam de reforma urgente, basta ver o aspecto pelo lado de fora para se ter uma noção do interior do estádio. A tinta não existe mais e os letreiros com o nome do estádio estão caindo.

Nas arquibancadas o mosaico das cores dos bancos foi desmontado porque 700 cadeiras estão quebradas, ou já foram arrancadas, ou precisam ser substituídas para evitar acidentes.

O governo vai arrancar as cadeiras que ficam atrás do gol da parte Sul e transformar a área numa geral, ficando apenas o concreto para o torcedor sentar. As cadeiras que estiverem com vida útil substituirão as cadeiras quebradas nas outras alas.

A Secretaria de Esportes vai fazendo paliativos para manter a Arena aberta aos jogos.

Segundo o diretor de esportes do estado, Júnior Santiago, para fazer uma reforma são necessários R$ 3 milhões. “Dinheiro que não existe em caixa. Não temos como fazer nenhuma melhoria agora. Precisamos criar uma estrutura para a secretaria para depois pensarmos como faremos com o estádio”, disse.

A antiga secretaria de esportes foi sucateada, lembrou Santiago e o que sobrou, e lembra esporte, é uma velha bola jogada entre as mesas dos servidores, porque o piso está saindo, o forro não impede mais a entrada da chuva com tantos buracos. As mesas estão vazias porque a secretaria não dispõe de servidores, elas só têm computadores porque foram emprestados pela Secretaria de Turismo. As máquinas que eram do esporte desapareceram.

O diretor de esportes nem pensa em novos projetos nesse início, até porque, precisa estruturar a pasta. “Vamos tentar manter parceria com as escolas para ver se conseguirmos manter algumas atividades de esportes. Por enquanto é o que podemos fazer”, disse.

Ainda não foi realizada uma avaliação do que desapareceu da secretaria, e quanto a pasta precisa para colocar de volta alguns programas e esportes.

Por enquanto o que se sabe é que existe uma marca muito grande do descaso com o esporte, e, por tabela, o futuro de milhares de jovens, esquecidos no meio de politicas sem sentido.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*