250917-cotidiano-ronaldoqueiroz-tvgazeta

Expectativa é que Mapa mude classificação do Acre

Meta é ser área livre de aftosa sem vacinação

Depois de cinco dias de avaliação dos trabalhos do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Acre (Idaf), auditores do Ministério da Agricultura podem dar ao Estado o título de área livre de aftosa sem vacinação.
A auditagem ocorreu ainda em outros 6 municípios do Alto e Baixo Acre. O resultado do trabalho dos auditores pode sair entre 60 e 90 dias.

Seria o fim de duas campanhas, por ano, de vacinação do rebanho. Os pecuaristas teriam uma redução significativa nos custos, e o melhor: a carne bovina do Acre estaria entre as melhores do país, já que, apenas Santa Catarina, tem, hoje, selo de área livre de aftosa sem vacinação.

É a mais alta classificação sanitária. Há 13 anos, o Acre é considerado área livre de aftosa com vacinação.
Segundo Ronaldo Queiroz, diretor do IDAF, quando se olha os números o instituto tem grandes chances de passar para o estágio superior. Nos últimos 5 anos, 99% do rebanho chegou a ser vacinado. No ano passado, esses números chegaram a 99,5%.

“Em 1998, o Estado do Acre era considerado de alto risco para a doença. Graças ao trabalho do Governo do Estado, em parceria com outras instituições, se chegou às áreas mais isoladas com a vacinação. Com um programa forte de monitoramento do rebanho, conseguiu tirar o risco da aftosa e garantir a venda da carne bovina para outros estados”, explicou.

Os três auditores devem repassar o laudo para o Ministério da Agricultura. Depois, mais 30 dias para análise e a próxima etapa é enviar para o Idaf completar informações, se não precisar e estiver tudo certo, o título pode vir em 60 dias.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*