050417-politica-assueroveronez-tvgazeta

Federação da Pecuária detalha cenário de crise do produtor

Medidas oficiais propiciaram reação, mas produtor ainda sente

A operação carne fraca da policia federal não está mais nas manchetes dos jornais, mas seus efeitos negativos continuam. Os países compradores começaram a abrir as portas para receber a carne do Brasil, mas estão pagando um valor bem menor que antes.

Isso mexe com toda a atividade da pecuária. No Acre, o pequeno produtor que vende os bezerros para os grandes está perdendo de R$ 100 a R$ 150 por animal na hora da venda.

O pecuarista mais forte paga menos porque o frigorífico baixou em R$ 5 no preço da arroba. A perda chega a ser de R$ 90 por animal abatido.

Essas informações foram repassadas na Câmara de Vereadores de Rio Branco durante a sessão dessa quarta-feira. O presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Acre, Assuero Veronez, disse que vai demorar a consertar os estragos, mas o mercado começa a reagir positivamente.

“As medidas do Governo Federal começam a limpar a imagem da carne brasileira e os mercados recomeçam a comprar a nossa carne. Agora estão se aproveitando da situação para pagar um valor mais baixo do que era praticado. Isso está trazendo prejuízos ao produtor”, explicou.

Os frigoríficos voltaram a abater a mesma quantidade de animais de antes da Operação Carne Fraca. Por ano são abatidos 600 mil animais no Estado do Acre. Atualmente, o rebanho acriano é de 3 milhões de cabeças.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*