290419-capacitacao-santa-juliana

Segurança do paciente é discutida no Santa Juliana

Semana encerra as atividades alusivas ao Abril Azul

A equipe de colaboradores do hospital Santa Juliana, médicos, enfermeiros, técnicos e administrativo, se reuniram nesta segunda-feira (29) no auditório do Hospital para debater a questão da segurança do paciente.

A semana encerra as atividades alusivas ao mês dedicado à segurança do paciente, o Abril Azul.

Vale lembrar que na prática as propostas e iniciativas já são realizadas há alguns anos.

“Para a gente lidar com a segurança do paciente a gente também se preocupa com a qualidade de todos os nossos processos tantos administrativos quanto assistenciais”, disse a coordenadora do Núcleo de Qualidade e Segurança do Paciente, Charlene Ruiz.

O desafio é entender que não basta apenas ter qualidade dos serviços prestados e investir em equipamentos e novas tecnologias, é necessário ir além.

“Uma nova lei aprovada semana passada pelo Conselho Nacional de Medicina determina que o paciente se não quiser ser tratado ele não será tratado, mas eu ainda sou dos médicos antigos, eu acho que ele tem que ser convencido a ser tratado, aceitar o tratamento, mas é a tendência de hoje, o paciente é o ator principal, não pode ficar de fora das discussões e das decisões, ele decide e a gente executa”, explicou o Diretor Clínico do Hospital, Gerce Câmara.

A mensagem que fica é sair da teoria e partir, de forma ainda mais efetiva, para a prática. Ouvir o paciente, acolher de forma mais pacificadora e explicar de forma clara, passo a passo, todos os procedimentos que serão realizados são os grandes desafios dessa proposta.

“Isso é muito importante porque o paciente merece ser bem tratado, o que está acontecendo, o que vai acontecer. Não só melhorar a relação médico paciente, mas também de todo uma equipe multidisciplinar que atende esse paciente”, declara a médica e Diretora técnica do hospital, Maria Socorro.

A gerente de operação, Francinete Lopes, diz que o foco é o paciente. “É para o paciente que nós queremos trabalhar e é ele que precisa ter essa segurança, nós queremos munir ele para quando ele entrar no Santa Juliana ele possa dizer que esse é o hospital que trabalha com todos os protocolos e é um hospital seguro”.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*