Gerlen afirma ter sido traído por Mazinho: “foi eleito com minha ajuda”

Parlamentar também afirmou que registrou uma notícia crime contra o prefeito

O deputado estadual Gerlen Diniz, do Progressistas, afirmou no programa Gazeta Entrevista, na edição desta quinta-feira (26), que o prefeito de Sena Madureira, Mazinho Serafim, do União Brasil, havia o traído durante o período de eleições.

“Esse senhor me traiu no passado. Ele foi eleito prefeito com a minha ajuda, pois eu era deputado estadual e ele não tinha mandato e eu o apoie, após isso, elegi três vereadores do meu partido para elegê-lo prefeito. Para você ter ideia, o partido dele elegeu um vereador. O compromisso era que ele iria me apoiar na eleição seguinte, me apoiou colocando a esposa candidata. Desde de que ele fez isso, eu o abandonei, e não quero nenhum contato com esse tipo de gente”, explica Diniz.

Na entrevista ele também afirmou que o deputado estadual Antônio Pedro, do União Brasil, que presidia a sessão, não agiu da forma certa no momento em que ocorreu a confusão na Assembleia Legislativo do Estado do Acre (Aleac).

“Se ele cometeu um erro ao deixar entrar, ele cometeu um erro maior em não retirá-lo, esta tudo previsto no livro de regras, as nossas condutas jã estão previstas no regimento interno, o código penal existe para isso. Desacato é crime, eu perguntei aos seguranças porque não prenderem ele, e eles afirmaram que o presidente não mandou. Com isso, os seguranças não agiram, o parlamento foi exposto e o deputado Gerlen Diniz que estava trabalhando foi exposto”, conta o parlamentar.

Para ele, a mesa diretora também foi omissa e continua sendo, pois ainda não emitida nenhuma informação a respeito sobre o fato.

“A mesa diretora não agiu, foi omissa, e continua sendo, pois até o momento ela ainda não se manifestou.  A mesa diretora como um todo: presidente, primeiro secretário, segundo secretário, precisa emitir uma nota, não pode ficar um dito como um não dito, isso é uma vergonha para o parlamento”, afirma Diniz.

Na manhã desta quinta-feira (26), o parlamentar decidiu registrar uma notícia crime contra o prefeito de Sena Madureira. “Com relação a esse episódio, eu estive na Delegacia hoje de manhã registrando uma notícia crime, um crime de desacato, a ação é penal pública incondicionada, pois é contra a administração pública e não contra mim, e um crime contra a honra, são mais duas ações contra essa pessoa, que não está nem ai para esse tipo de coisa”, concluiu o deputado estadual.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*