Gladson Cameli diz que buscará todos os esforços pela unidade da oposição

O deputado federal é pré-candidato ao Senado

O perseverante

O deputado federal e pré-candidato ao Senado, Gladson Cameli (PP), diz que lutará até o último minuto pela unidade da oposição. “Eu não medirei esforços em buscar a união. De Assis Brasil a Marechal Thaumaturgo o que ouço da população é este clamor pela unidade. Eu não vou ser doido de ir contra a voz das ruas”, diz o parlamentar. Outro campo de batalha a ser enfrentado por ele é garantir a alternância de poder no Acre que, na avaliação dele, é essencial para a democracia.

Muito cedo

O lançamento da pré-candidatura de Márcio Bittar (PSDB) ao governo na próxima semana pode ser vista como uma atitude precipitada. Ainda estamos a um ano das eleições, muita água ainda passará por debaixo da Ponte Metálica.

Prévias

O atual momento requer mais prudência por parte da oposição. Preparar um discurso consistente capaz de convencer o eleitor, sair do “panelinha” e “produzir para empregar”. Márcio seria mais prudente se adiasse esta oficialização e trabalhasse mais seu projeto.

Mexidas

Tudo pode mudar até o ano que vem. Quem hoje se apresenta candidato ao governo pode pedir voto para outro cargo. Hoje há muita especulação e poucas certezas. Atualmente somente como candidato certo mesmo Tião Viana, que vai para o pleito naturalmente.

Silêncio prudente

Os oposicionistas poderiam aprender esta lição com Tião: mesmo sendo candidato natural, ele evita assim se declarar, preferindo a cautela e trabalhando nos bastidores para manter os apoios e evitar dispersões.

Imprudente

A notícia de que o deputado Sibá Machado (PT) assinou pedido de Antônia Lúcia para criar a CPI da BR-364 causou um grande baque nele. A revelação do caso foi visto como um fogo-amigo por conta de sua candidatura à presidência do PT.

Mais atenção

A seus interlocutores, Sibá disse que assinou o requerimento sem ler o conteúdo, e a autora da proposta também não fez questão de explicar. Resultado? Sibá entrou numa barca furada e ganhou a pecha de estar atuando contra os irmãos Tião e Jorge Viana e o próprio partido.

Recuperação

Sibá promete na próxima semana procurar os meios para retirar o nome do requerimento. Reações? Neste momento ele vai preferir a cautela e não partir para o embate “A resposta do Sibá será entrar em campo e cair com mais vontade na campanha”, diz um de seus auxiliares.

Reforços

Informações dão conta de que os apoiadores da DR (Democracia Radical) estariam enviando convites a petistas do grupo de Sibá para participarem do lançamento da candidatura de Ermício Sena neste sábado.

Passando longe

O evento de hoje servirá para mostrar se o sociólogo é ou não de fato o candidato do Palácio Rio Branco. Se Tião Viana por lá aparecer então as dúvidas vão por água abaixo. Mas fontes informam que neste sábado ele parte rumo ao interior.

Contenção de gastos

Com as prefeituras em crise a medida adotada por muitos gestores é cortar na própria carne; em Jordão o prefeito Élson Farias (PCdoB) reduziu o seu salário e dos secretários. De R$ 10 mil o comunista passará a receber R$ 8 mil.

Boa tática

Estas prefeituras mais pobres estão adotando como estratégia de sobrevivência a formação de consórcios. Jordão, Tarauacá e Feijó decidirem se unir para melhor executar suas respectivas ações de governo. É questão de tudo ou nada.

Gastos em excesso

Enquanto isso em Marechal Thaumaturgo parece não haver crise. O petista Aldemir Lopes ganha generosos R$ 16 mil num município carente dos serviços mais básicos. O TCE investiga como ocorreu este aumento, aprovado por ele próprio quando presidente da Câmara em 2012.

Caça talentos

No Acre os marinistas estão na corrida contra o tempo para viabilizar a Rede de olho em 2014. Por sorte o partido vai se viabilizando, já são quase 500 mil assinaturas reconhecidas. Agora o grupo acreano busca nomes potenciais para disputar a Aleac e a Câmara.

Pernas próprias

Os membros da Rede consideram como alta a possibilidade da legenda ter candidatura ao governo. O objetivo é oferecer um bom palanque para Marina Silva em sua terra natal, evitando repetir o fiasco de 2010, quando por aqui ela ficou em terceiro lugar.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*