gladson02092014

Gladson para ouvir os comerciantes do povo 02-09-2014

Gladson destaca importância de incentivos fiscais

O candidato ao Senado da República pela coligação Aliança Por Um Acre Melhor, Gladson Cameli (PP), destacou durante caminhada no centro comercial da Estação Experimental, na manhã desta terça-feira (2), em Rio Branco, a importância de uma reforma tributária e a necessidade de mais investimentos industriais e infraestrutura para viabilizar alternativas de geração de emprego e renda.

Cameli lembrou que como deputado federal foi designado relator do Projeto de Lei que propôs a regulamentação da legislação referente à criação e instalação das Zonas de Processamento e Exportação (ZPE’s) em todo país, uma das propostas consideradas mais importantes em discussão na área econômica.

“Participei de um momento importante para regulamentação de uma legislação essencial para impulsionar a economia dos estados brasileiros. As ZPE’s representam um grande salto para a geração de emprego e renda para várias famílias, corrigem desequilíbrios regionais e atraem investimentos estrangeiros para exportações” disse.

Gladson parou várias vezes para ouvir os comerciantes, conversar com moradores que faziam compras e receber abraços. “É muito bom caminhar em Rio Branco e receber o carinho e atenção de tantas pessoas que confiam no nosso trabalho”, acrescentou.

No Centro Comercial Paulo Dantas, Cameli lembrou o compromisso do seu candidato ao governo, Marcio Bittar (PSDB), de zerar as dívidas de comerciantes – através do projeto Começar de Novo – que pretende anistiar multas e renegociar as dívidas dos comerciantes. Na Barbearia do Nunes, o progressista tomou cafezinho, citou a importância do diálogo com a população e disse que está preparado para representar o Acre no Senado.

“Tenho andando muito por cada pedaço de chão desse estado, e acredito que essa forma nova de fazer política tem tudo para dar certo. Ouvindo a população, suas demandas, temos condições de trabalhar de maneira objetiva para atender e defender as diferentes realidades de cada região”, concluiu.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*