thumb CameliBancada

Isolamento e haitianos: Gladson pede providências urgentes

Bancada federal continua peregrinando ministérios

O deputado federal Gladson Cameli (PP-AC) participou de audiência na tarde desta terça-feira, 08, com os ministros da Articulação Política, Ricardo Berzoini, e o da Integração Nacional, Francisco José Teixeira, onde o isolamento e o consequente desabastecimento do Acre voltou a ser pautado como a maior preocupação da bancada federal durante o período de cheia pelo qual passa o estado.

Durante a reunião com o ministro da Integração, Cameli relatou o caos social e econômico em que se encontra o estado devido a enchente dos rios Madeira e Acre, e na oportunidade aproveitou para comunicar ao ministro o decreto de calamidade decretado pelo Governo do Estado.

“ A situação é grave, mas com o decreto as necessidades de urgência serão solucionadas com maior brevidade. Precisamos com urgência de mecanismos que minimizem o sofrimento das famílias do nosso estado”, disse Gladson.

Com o ministro da Articulação Política, Gladson solicitou ajuda imediata para liberação dos recursos para mobilidade urbana em Rio Branco, na ordem de mais de R$ 30 milhões de reais. O ministro, por sua vez, garantiu que entrará em contato com o Ministério das Cidades para que a verba possa ser liberada o mais rápido possível.

O deputado continua sua luta, juntamente com a bancada acreana, para que a população supere os graves problemas causados nos últimos dois meses.

Haitianos – Ainda nesta terça-feira, Gladson Cameli participou de mais uma audiência no Ministério da Justiça sobre a situação dos haitianos no estado, com a presença de diversos secretários executivos e assessores de várias pastas ministeriais, cujo objetivo foi traçar estratégias conjuntas em busca de solucionar os problemas vivenciados na fronteira entre o Brasil e a Bolívia.

De acordo com Cameli, o governo precisa agir dentro do problema de maneira preventiva antes que o pior possa ocorrer. “Esse não é um problema somente do Acre, é um problema do Brasil, e é necessário que medidas emergenciais sejam tomadas pelas autoridades responsáveis, e assim evitar problemas ainda maiores para todos”, finalizou.

Deixe uma resposta