100419-politica-coletiva100dias

Balanço dos 100 primeiros dias de gestão é apresentado

Gladson falou dos desafios enfrentados até o momento

O governador do estado Gladson Cameli concedeu na manhã desta quarta-feira (10) uma coletiva na qual ele apresentou o balanço dos 100 primeiros dias de gestão.

O governador falou sobre a importância do diálogo, da valorização dos poderes, de investimentos e dos desafios que ainda vai enfrentar. Ressaltou, ainda, que encontrou um Estado falido e que a dificuldade de acesso às informações comprometeu bastante o início dos trabalhos. “Eu peguei um governo governado por um grupo vinte anos, então há todo um processo para termos informações, e garanto que tem muitas informações que nós não temos o dado completo ainda. Por exemplo, eu não me conformo com o valor que está a folha de pagamento da saúde, está tendo uma auditória não só da saúde, mas de toda a folha de pagamento pra eu saber o que está acontecendo.”

Presente à coletiva, o vice-governador, Major Rocha, falou sobre como estava o Estado quando a atual equipe assumiu o governo. “Estamos cobrando a devolução de 100 milhões de reais que foram tomados em empréstimo e que não foram aplicados da forma correta, essas informações nós não tínhamos, estamos tomando conhecimento aos poucos . O Acre tem mais de 3 bilhões em empréstimos e parte desses empréstimos está sendo auditado. ”

Na Saúde, entre outros pontos, o governador garantiu a entrega da ampliação do Pronto-Socorro já funcionando. Na segurança, mais investimentos para uma polícia melhor equipada até Julho deste ano. E comunicou ainda, um convênio que vai atuar na iluminação de todos os acessos de Rio Branco e do aeroporto de Cruzeiro do Sul.

Outro ponto levantado pelo governador foi sobre a reforma administrativa. Cameli reconheceu que a dosagem pode ter sido alta demais e que, por esse motivo, uma nova adequação já está sendo estudada. “Nós vamos trazer de volta a Secretaria de Ação Social e nela, que nós não temos a nomenclatura, na mesma função, trazer as políticas para mulheres, direitos humanos e uma política voltada aos índios.”

Em síntese, o governo tentou deixar claro que tudo o que foi prometido durante a campanha será, aos poucos, cumprido. E, sendo o resultado positivo, ou não, a responsabilidade é toda dele. “Tudo que era de errado era o governo passado. O que eu quero dizer é isso, dizer que a responsabilidade é minha a partir do dia 1° de janeiro, a falta de remédio em qualquer posto de saúde, é minha, falta de segurança é nossa, principalmente do governador. O povo não vai atrás de secretariado, vai querer falar é com o governador.”

Mas o grande anúncio, mesmo, foi a convocação, imediata, de todos os aprovados no concurso da Segurança Pública.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*