Estado cria gabinete para combater surto de monilíase do cacaueiro

Acre está desde agosto em estado de emergência fitossanitária

O Governo do Acre vai instituir, temporariamente, um Gabinete de Crise no Estado, por causa de um possível surto da praga Moniliophthora roreri, também conhecida como monilíase do cacaueiro.

A decisão de criar o gabinete foi publicada no Diário Oficial do Estado desta sexta-feira (13), e foi assinada pelo governador do Acre, Gladson Cameli. Desde o dia 4 de agosto foi declarado estado de emergência fitossanitária, relativo a uma possível introdução da praga Monilíase do Cacaueiro no país. O Brasil até então era o único produtor de cacau da América Latina que não havia sido atingido pela doença.

A Monilíase do Cacaueiro pode infectar os frutos e provocar grandes perdas na produção do cacau. O fungo contamina a fruta e causa lesões na superfície. Através dessas fissuras, são expelidas várias partículas que contaminam outros frutos. O vento, a chuva e intervenções humanas são os grandes responsáveis pela propagação do vírus.

O gabinete ficará com a atribuição de monitorar, mobilizar e coordenar as atividades dos órgãos públicos estaduais para a adoção de medidas que combatam e minimizem os danos causados pela propagação da doença.

Para compor o Gabinete de Crise serão escolhidos representantes dos seguintes órgãos: Instituto de Defesa Agropecuária e Floresta (Idaf); Secretaria de Estado da Casa Civil (SECC); Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater); Secretaria de Estado do Meio Ambiente e das Políticas Indígenas (Semapi); Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp); Secretaria de Estado de Produção e Agronegócio (Sepa); Polícia Militar do Estado do Acre (PMAC); Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Acre (Cbmac).

Deixe uma resposta