16032020-coletiva-governo

Governo fala sobre medidas tomadas durante pandemia

Acre ainda não registrou nenhum caso de coronavírus

Autoridades do Estado se reuniram em uma entrevista coletiva, na manhã desta segunda-feira (16), para falar sobre o plano de ação contra o novo coronavírus. O
Brasil já possui 176 casos confirmados de Covid-19, e até o momento nenhum registro da doença no Acre.

De acordo com o governador Gladson Cameli, as medidas necessárias serão tomadas de acordo com os acontecimentos. “Tudo o que for necessário para que possamos passar tranquilidade para a sociedade, nós vamos fazer, nós não vamos ser omissos”, disse.

O secretário de Estado de Saúde, Alysson Bestene, explica que o plano inclui três etapas, sendo vigilância de saúde, prevenção e assistência, em caso de confirmação.

Em relação à vigilância, Bestene informa que “pessoas que vêm de outros estados, ou de outros países, mesmo as que não estão com sintomas, a gente vai recomendar que façam a quarentena voluntária, em torno de sete dias”.

Ele também ressalta que um ofício foi assinado por governadores da Amazônia Legal e secretários de Saúde da região, solicitando ao Ministério da Saúde, 200 novos leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI’s) para o Norte do país.

Após a coletiva, em entrevista à equipe da TV Gazeta, o governador disse que estuda a possibilidade de suspender as aulas nas escolas públicas do estado, “vamos pensar isso a médio prazo, se for necessário suspender as aulas ou reduzir o horário”, disse Cameli.

Reforço

Durante a coletiva, o governador afirmou que vai solicitar o apoio do efetivo da Segurança, Saúde e Educação, para fortalecer a prevenção ao novo vírus, principalmente pelo fato de o Acre fazer fronteira com Peru e Bolívia, onde casos foram detectados recentemente.

O secretário de Segurança, coronel Paulo César, declarou que já foi feito o contato inicial com o Exército Brasileiro, “em especial, em relação às fronteiras de Assis Brasil, Brasileia e Epitaciolândia, no sentido de identificar possíveis casos, bem como orientar aqueles que estão adentrando o país”.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*