050417-politica-emersonjarude-arquivopessoal

Jarude vai recorrer para garantir titularidade em CPI

Vereador não quer compor comissão como suplente

O vereador Emerson Jarude (PSL) conseguiu, na Justiça, o direito de fazer parte da comissão que vai investigar o transporte coletivo de Rio Branco, mas não está comemorando.

A decisão judicial abre espaço para que a Mesa Diretora coloque o parlamentar entre os suplentes, que, na teoria, é uma reserva, só participa na falta de algum titular.

O vereador vai entrar com um embargo na Justiça para garantir vaga como titular da comissão. Se a Justiça entendeu que o PSL, com dois vereadores na Câmara, tem vaga garantida entre os membros da CPI, então, deve ficar como titular.

Segundo Jarude, esse direito foi retirado graças a uma decisão arbitrária do presidente da Casa que decidiu sozinho quem seriam os componentes da comissão que vai investigar os contratos entre a prefeitura e as empresas do transporte coletivo.

“Vamos buscar na Justiça novamente o direito de ficar à frente das investigações. Como essa CPI vai trabalhar sério com vereadores que antes nem queriam a comissão e agora estão dirigindo os trabalhos?”, interrogou.

O presidente da Mesa Diretora, Manoel Marcos, explicou que ainda não foi notificado pela Justiça. Entretanto, já decidiu que vai colocar Jarude no lugar de um dos suplentes que são:

N. Lima do DEM e Artêmio Costa do PSB. Como N. Lima é da oposição, Manoel Marcos deve optar por ele. “Não pretendo mexer nos vereadores que são titulares. Eles já começaram os trabalhos e, além disso, garanto a vaga de Roberto Duarte autor do requerimento de criação da CPI”, finalizou.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*