thumb JV-sobrevoo-madeira

Jorge Viana verifica de perto situação da cheia do Madeira

Com parlamentares do Acre, senador fez reuniões com autoridades de Rondônia

O senador Jorge Viana, ao lado do senador Aníbal Diniz, da deputada federal Perpétua Almeida, e outros parlamentares do Acre, estiveram reunidos nessa quinta-feira em Rondônia para conhecer de perto a situação que aflige os estados de Rondônia e Acre com a cheia histórica do Rio Madeira. O nível do rio teve pequenas oscilações durante o dia, e chegou a atingir a marca de 19,69 metros no período da tarde.

Senadores e deputados esteve reunida com autoridades da Defesa Civil de Rondônia e representantes de instituições federais que atuam na região. Eles falaram sobre o enorme esforço feito até o momento para garantir a passagem de alguns poucos caminhões na BR-364, tudo com apoio do governo do Acre. Nos últimos dois dias, apenas três veículos atravessaram.

“Muitos aqui têm agido com heroísmo. Tem funcionário do governo do Acre e do governo federal em todos os trechos alagados da rodovia. Ambos trabalham dia e noite procurando ajudar a enfrentar esse problema”, disse o senador Jorge Viana alertando para a possibilidade de que a partir dessa sexta-feira seja permitido um fluxo de pelo menos 30 a 40 caminhões por dia na BR-364 com destino a Rio Branco.

Acompanhados pelo Comandante da Brigada do Exército na região, General Novaes, Jorge e Aníbal se encontraram também com o arcebispo de Rondônia, Dom Moacyr Grechi. “Ele não só está solidário, como está muito preocupado com tudo o que está acontecendo. Dom Moacyr é sinônimo de fé. Que Deus nos ajude que essa situação passe logo”, publicou Viana em sua página do Facebook.

Depois do encontro com o arcebispo, os senadores e deputados seguiram para um sobrevoo nos trechos alagados da BR-364, onde a lâmina d’água já ultrapassou mais de 1,70 metro acima do asfalto. “Depois disso seguimos para o Acre e vamos ter nesta sexta uma reunião com o governador Tião Viana para somar esforços nesse trabalho de ajudar no abastecimento do estado”, explicou Jorge Viana.

Deixe uma resposta