280319-kits-escolares

Kits escolares estão sendo entregues faltando material

Problema foi confirmado pelo próprio secretario de educação

Os 25 mil kits escolares prometidos pela prefeitura de Rio Branco para alunos da rede municipal começaram a ser entregues no último dia 11. São 49 itens, que vão desde copos plásticos até produtos de higiene, como sabonetes e toalhas de mão.

Mas na prática, nem todos os produtos estão sendo entregues. Quem apontou a falha foi o vereador Emerson Jarude. Ele tem visitado as creches e pré-escolas para inspecionar o material que está sendo entregue nos kits. A Caravana da Fiscalização já esteve em quatro escolas e em nenhuma delas a lista do que foi recebido coincide com o que foi anunciado.

“Fizemos uma lista aqui das escolas e creches que nós já visitamos e infelizmente vários itens ainda não foram entregues, causando um transtorno para os alunos porque muitos dos itens são de higiene pessoal, são para as atividades de aula, então os professores estão tendo dificuldades”, comentou o vereador.

O investimento para a aquisição dos kits ficou em torno de R$ 1 milhão e 100 mil. A compra foi realizada, segundo o secretário municipal de Educação, Moisés Diniz, por meio de licitação, onde dez empresas saíram vencedoras. Ele confirma a falha identificada pelo vereador, mas justifica que o problema ocorreu por atraso na entrega dos materiais por parte das empresas contratadas. “É verdade o que o vereador está dizendo. Nós fizemos uma licitação parte do material foi entregue, nós já entregamos nas creches e escolas, parte está sendo entregue amanhã e ainda tem uma parte as empresas ainda vão entregar. Essas que ainda não entregaram a prefeita já decidiu que vamos notificar para que elas imediatamente entreguem esse material.”

A questão, é que para o vereador, as escolas e, principalmente, os alunos estão sendo prejudicados com isso. Jarude garante que vai manter a fiscalização e que providências serão tomadas para cobrar os responsáveis por mais essa falha. “Nós vamos encaminhar todo esse material ao Ministério Público para que eles façam as suas devidas providencias e também cobrar para que a prefeitura corrija esses erros. O que a gente pede é a honestidade de reconhecer que está errado, mas também a boa vontade de corrigir.”

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*