311017-politica-operacaoburacos-tvgazeta

Mais R$ 1 bilhão para ajeitar BR-364, calcula Dnit

Força-tarefa aponta que já foram gastos R$ 2,5 bi

De acordo com dados do Dnit, reconstruir a BR-364 entre Sena Madureira e Cruzeiro do Sul seria necessário um R$ 1 bilhão. Nos últimos 17 anos, foram gastos R$ 2,5 bilhões e a rodovia está praticamente intrafegável. Em muitos trechos poucos sobrou das obras que foram feitas.

A investigação da Polícia Federal pode revelar porque a BR não aguentou tanto tempo. Muitas obras não foram feitas e mesmo assim os pagamentos foram realizados. Um serviço custava até o dobro do preço normal.

Na Operação Buracos, desencadeada nessa segunda-feira, coloca o prefeito de Rio Branco, Marcus Alexandre, com um dos principais acusados no desvio de recursos que pode chegar a R$ 700 milhões. Marcus Alexandre foi diretor do Deracre entre 2007 e 2011, período em que se estão sendo apuradas as irregularidades.

Na Câmara de Rio Branco, os vereadores de oposição foram trabalhar na manhã dessa terça-feira, na expectativa de discutir o assunto, mas não houve sessão. Nesta noite, a Câmara entrega títulos de cidadão rio-branquense.

A oposição quer mostrar que neste ano é a terceira denúncia de desvios de recursos contra o prefeito quando dirigia o Deracre. Marcus Alexandre já tinha sido multado em um julgamento do Tribunal de Contas da União por causa de recursos da BR, depois por desvio de combustível em obras de ramais em Cruzeiro do Sul.

“Precisamos mostrar à população quem é o prefeito que tem a pretensão de ser governador do Estado. Vamos entregar nosso dinheiro para ele gerir. Veja o que aconteceu com o recurso da BR”, reclamou Roberto Duarte (PMDB).

A oposição vai usar as denúncias para minar a pré-candidatura de Marcus Alexandre ao Governo do Estado. É que 48 horas antes da operação da Polícia Federal a Frente Popular tinha lançado o nome do petista em um ato de todos os partidos da coligação.

Os vereadores querem apurar ainda as denúncias de desvio de recursos da Emurb, a Empresa Municipal de Urbanização. O presidente afastado da Emurb, Jackson Marinheiro, era um dos diretores do prefeito quando estava no Deracre, depois assumiu a Emurb quando Marcus Alexandre chegou à prefeitura da Capital. Marinheiro só foi afastado depois de preso acusado de desvio de recursos.

Tentamos entrar em contato com os vereadores de situação, mas não atendiam nossas ligações ou os aparelhos estavam desligados.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*