0509-politica-eymael

“Marina erra ao não tomar posição sobre temas polêmicos”, diz Eymael

 

Candidato avalia que Norte do país é excluído

 

O presidente do PSDC e candidato à presidência da República José Maria Eymael chegou à Rio Branco por volta do meio dia. Foi recepcionado por militantes e pelos parlamentares do partido no Acre, deputado estadual Edvaldo Souza e pelo vereador Artêmio Costa. Uma ausência sentida foi a do deputado estadual Éber Machado. No saguão do aeroporto o candidato falou rapidamente com a imprensa e depois retomou conversa na sede da TV Gazeta e do site AGazeta.Net.

 

Hoje é celebrado aqui no Acre o Dia da Amazônia. Caso o senhor seja eleito, o que o senhor pretende fazer pelo Desenvolvimento e preservação da Amazônia?

 

Em relação ao Meio Ambiente e à Natureza, nós temos que usufruí-la, mas cabe ao Estado o dever de protegê-la. Meio ambiente deve ser preservado, mas tem que ser usufruído, mas sem ser destruído. Nós não podemos condenar a Amazônia, por exemplo, a não usufruir dos seus recursos naturais cabendo, no entanto, ao Estado, defender esses valores. A Natureza não pode ser uma coisa platônica para você olhar e não usufruir. Usufruir sem destruir.

 

Mas, isso está contemplado no seu plano de Governo?

 

No meu programa de governo está contido um documento chamado Brasil 27. São 27 linhas gerais de Governo. Uma das 27 linhas gerais do meu governo é exatamente isso: como usufruir a Natureza sem destruí-la cabendo ao Estado preservar esse direito. É o crescimento sustentável, uma questão de inteligência.

 

Em relação à questão da segurança na região de Fronteira?

 

Isso é outra diretriz. Hoje, você tem violência dia e noite. Os nossos jovens assassinados pela droga e pelas armas. E por onde elas entram? Elas entram pelas nossas fronteiras desguarnecidas. É missão das Forças Armadas proteger as fronteiras brasileiras. Hoje, não há missão mais importante para as Forças Armadas do que impedir a invasão das fronteiras pelas drogas e pelas armas.

 

O partido está com dois deputados estaduais…

 

O Norte é esquecido e discriminado pelo Governo Central. Por que nós escolhemos
Roberto Lopes, um homem de Roraima, como vice? Exatamente para confirmar o nosso compromisso com essa região esquecida há décadas.

 

A proposta de Marina Silva de fazer uma consulta popular para tratar de temas como união homoafetiva, aborto etc… o senhor concorda com isso?

 

Não. Não concordo. Ela tem que dar a posição dela como candidata à presidência da República. Para mim, casamento é a união de homem e mulher. Tem que ter posição clara.

Mas, a consulta ao povo não legitima a decisão? E não é um sinal de respeito à decisão popular?

 

Não. É diferente. Qual é a posição minha e da Democracia Cristã em relação à união homoafetiva? É o respeito ao texto constitucional que assegura a liberdade de opção sexual. As relações homoafetivas nada mais são do que o exercício da liberdade constitucional. O que me espanta é uma candidata à presidência da República apresentar um programa, publica o programa e depois diz ‘eu me enganei’.

 

Qual a opção do PSDC com um segundo turno entre Dilma e Marina?

 

O PSDC hoje só tem um foco. O foco é chegar no segundo turno. A pesquisa do Ibope realizada em 22 de julho e publicada em 27 de agosto eu sou o quarto colocado. Em alguns casos o Pastor Everaldo empata comigo. Nós estamos vivendo hoje um momento forte excepcional. Em um dos polos você tem a presidente Dilma e no outro a imprevisibilidade.

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*