010519-cotidiano-dengue

MS diz que ações contra dengue precisam ser fortalecidas

Quase mil cidades podem ter surtos da doença

O Ministério da Saúde divulgou na manhã desta quarta-feira (1) ser necessário fortalecer as ações de combate ao mosquito transmissor da dengue. O primeiro levantamento rápido de índices de infestação de 2019, o LIRA, apontou que em todo país entre os meses de janeiro e março houve um aumento de 339,9% de casos em relação ao mesmo período do ano passado.

Segundo o ministério da Saúde, 994 municípios brasileiros apresentam altos índices de infestação pelo mosquito aedes aegypti, e podem registrar surtos de dengue, zika e chikungunya, mas Rio Branco não consta nessa relação. É que, ainda segundo o ministério, a prefeitura da capital não enviou os dados necessários.

Em nota, o Secretário Municipal de Saúde, Oteniel Almeida, junto à prefeita de Rio Branco, Socorro Neri, justificam o não encaminhamento dos dados ao ministério da Saúde. No documento, eles citam que a prefeitura decretou situação de emergência no dia 18 de Fevereiro deste ano em razão do reconhecimento de epidemia por dengue.

A nota também trata das ações tomadas pela gestão e conclui dizendo que, diante desta realidade de fatos, o LIRA deixou de ser realizado uma vez que o município já se encontra em situação de emergência, mas, para quem mora em Rio Branco, fazer parte da lista ou não, não é o que mais importa. A população está preocupada e com medo pelo aumento do número de casos.

Em alguns bairros da capital difícil mesmo é encontrar quem nunca ficou doente.

“Eu acho que seria bom se a população estivesse sempre juntando as coisas do seu quintal, tirando o lixo, isso evitaria o mosquito”, disse a dona de casa, Maria Gerciane.

“Eu acho que isso é culpa da prefeitura porque eles não fazem nada, o carro da dengue passou uma vez e nunca mais. Eu já peguei dengue e sei como que é ruim, muita dor de cabeça, dor nos ossos”, concluiu a diarista, Ana Maria Alves.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*